Educação ambiental pode virar disciplina obrigatória nas escolas

 

Proposições legislativas

Está pronto para votação na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) o PLS 221/2015, que estabelece a criação da disciplina de Educação Ambiental nas escolas de ensino fundamental e médio. Caso seja aprovada, a matéria ainda será avaliada pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

De autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), o projeto modifica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para transformar o tema da educação ambiental em uma matéria obrigatória para os alunos de todas as séries dos níveis fundamental e médio. Atualmente, as escolas são orientadas apenas a tratar de princípios do assunto de forma integrada a outros componentes curriculares.

Em sua justificativa para a proposição, Cássio Cunha Lima diz acreditar que a criação de uma disciplina específica é a melhor maneira de transmitir conhecimentos ambientais às novas gerações de forma efetiva.

"A educação ambiental é tratada como um tema transversal, o que inviabiliza uma prática contínua, permanente e com conteúdo próprio. Assuntos como reciclagem, sustentabilidade, medidas de reúso de água, ecologia devem ser tratados com a devida importância", defende o senador.

O projeto tem como relator o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), que apresentou voto pela aprovação, sem emendas. A matéria anda deve ser examinada pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), em caráter terminativo.

Fonte : Senado

Um comentário em “Educação ambiental pode virar disciplina obrigatória nas escolas

  1. Educação Ambiental como disciplina na Educação Básica contraria toda a luta internacional e nacional travada em favor do meio ambiente, inclusive presente nos documentos resultantes das conferências nacionais de meio ambiente.

    É uma forma de impedir a reflexão sobre o cotidiano (meio ambiente) do educando e da educanda por educadores e educadoras das diferentes áreas do conhecimento. O tema meio ambiente é inerente a todos educadores e educadoras, afinal, a educação deve ser trabalhada de forma contextualizada.

    Constitui um entrave às mudanças necessárias para alcançarmos um mundo melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *