Economia de água | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Há mais de 10 anos, em visita a um kibutz (fazenda coletiva israelense) no deserto de Negev, avistei um pivô em uma propriedade totalmente irrigada por gotejamento subterrâneo. Percebendo minha curiosidade, os agricultores apressaram-se em explicar que aquele sistema de irrigação não era mais utilizado por lá havia muito tempo o que se podia comprovar pela ferrugem e abandono do equipamento. Era, como disseram, peça digna de um museu da irrigação. As vantagens da fertirrigação subterrânea em relação ao pivô são muitas, a começar pela considerável economia de água. Em nossos verões escaldantes, a evaporação, por exemplo, é enorme. Surpreende que, sendo essa tecnologia conhecida e aprovada há tanto tempo, o Brasil ainda desperdice imensos volumes de água com irrigação agrícola. A não ser que o objetivo seja admirar o arco-íris formado pela chuva artificial que jorra dos pivôs.

Fonte: ZH | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.