ECONOMIA – China aumentou importações de grãos e de carnes em setembro

Apenas de soja, compras totalizaram 9,79 milhões de toneladas

  • Soja no Porto de Paranaguá (Foto: Nájia Furlan/Portos do Paraná)

Soja no Porto de Paranaguá. China comprou mais de 9 milhões de toneladas do grão em setembro (Foto: Nájia Furlan/Portos do Paraná)

As importações chinesas de soja totalizaram 9,79 milhões de toneladas em setembro deste ano, aumento de 19,5% ante igual período do ano passado, de acordo com dados divulgados pelo Departamento de Alfândegas da China (GAAC, na sigla em inglês). Nos primeiros nove meses do ano, o país asiático importou 74,53 milhões de toneladas da oleaginosa.

Dentre os derivados da soja, a China adquiriu 140 mil toneladas de óleo de soja em setembro deste ano, variação positiva de 49,7% em relação ao volume registrado um ano antes. De janeiro a setembro deste ano, a importação da commodity totalizou 780 mil toneladas. As importações chinesas de milho alcançaram 1,08 milhão de toneladas em setembro, volume 675,1% superior ao registrado em setembro de 2019. No acumulado do ano, o país importou 6,67 milhões de toneladas do cereal.

De trigo, os chineses importaram 1,07 milhão de toneladas no mês passado, alta de 584,5% na comparação anual. Nos nove primeiros meses do ano, as importações do cereal pelo país asiático totalizaram 6,06 milhões de toneladas.

A China importou 210 mil toneladas de algodão no mês passado, incremento de 152,5% ante igual intervalo de 2019. A importação da fibra natural totalizou 1,4 milhão de toneladas entre janeiro e setembro deste ano.

As compras chinesas de óleo de palma atingiram 430 mil toneladas em setembro, volume 3,5% menor que o importado um ano antes. Nos primeiros nove meses do ano, a importação da commodity atingiu 3,04 milhões de toneladas.De lácteos, 270 mil toneladas foram importadas pela China em setembro, 23,8% a mais do que em igual período do ano anterior.

Entre janeiro e setembro, o país comprou 2,47 milhões de toneladas de produtos lácteos do mercado externo.As importações chinesas de açúcar somaram 540 mil toneladas em setembro, alta de 29,1% ante igual mês do ano anterior. No acumulado do ano, as importações do adoçante alcançaram 2,77 milhões de toneladas.

As compras de fertilizantes foram de 1,35 milhão de toneladas, aumento de 21,7% ante setembro do ano passado. De janeiro a setembro, a China importou 8,16 milhões de toneladas de adubos.

Carnes

As importações chinesas de carnes e miúdos totalizaram 830 mil toneladas em setembro deste ano, volume 63% maior do que o adquirido em igual mês do ano anterior, informou o Departamento de Alfândegas da China (GAAC, na sigla em inglês). A despesa com a importação do produto aumentou 40,5%, atingindo US$ 2,325 bilhões no mês. Nos primeiros nove meses do ano, o país asiático importou 7,41 milhões de toneladas de carnes e miúdos.

As importações de carne suína somaram 380 mil toneladas em setembro, volume 121,6% superior ao comprado em igual mês do ano passado. Em valor, o aumento foi de 146,6%, para US$ 924,5 milhões. No acumulado do ano, o país asiático importou 3,29 milhões de toneladas de carne suína.

De carne bovina, o país asiático importou 180 mil toneladas em setembro, alta de 18,9% na comparação anual. O valor desembolsado com o produto foi 1% menor, de US$ 777,08 milhões. De janeiro a setembro deste ano, a China comprou 1,57 milhão de toneladas de carne bovina do exterior.

Apesar das restrições da China às proteínas importadas, com a suspensão de vários frigoríficos em todo o mundo e testagem em massa para covid-19 de alimentos importados, os dados mostram que o país mantém a dependência de compras externas desses produtos para abastecimento doméstico. O aumento das importações chinesas de carnes é resultado dos surtos de peste suína africana (ASF, na sigla em inglês) que dizimaram boa parte do seu plantel de suínos nos últimos dois anos.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *