ECONOMIA – Brasil está diversificando produtos exportados à China, destaca Mendonça de Barros

Consultor econômico diz discordar dos discursos que apontam relação de dependência dos chineses e reforçou importância da sanidade animal

mendonça de barros 2 (Foto: Karime Xavier/Folha Press)

(Foto: Karime Xavier/Folha Press)

Um movimento de diversificação nos produtos agrícolas brasileiros exportados para a China está em curso. É o que aponta o consultor econômico da MB Associados, José Roberto Mendonça de Barros.

"Embora a soja seja, em disparada, o maior produto embarcado pelo Brasil, já vemos a consolidação de um importante fluxo no caso da celulose, por exemplo, a qual a brasileira é a mais competitiva do mundo, além do algodão e das carnes", disse ele durante debate virtual do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC).

Em relação ao comércio de proteína animal, Mendonça lembrou que há três anos a China teve um colapso na produção de suínos em função da peste suína africana e que isso trouxe uma enorme oportunidade com o aumento da demanda, que o Brasil está aproveitando muito bem.

O consultor disse, porém, que discorda dos discursos que apontam uma relação de dependência dos chineses com os brasileiros e acrescentou que a China já está em um processo de recuperação do plantel de suínos, mas que grande parte desse movimento está ocorrendo em granjas modernas, com forte uso de tecnologia.

"Isso não tem acontecido na tradicional produção caseira, artesanal, com baixa tecnificação, que é a origem do problema. O mercado só está começando a perceber agora que à medida que for sendo recomposta a produção de suínos na China, haverá como consequência um aumento significativo nas importações de milho", afirmou Mendonça.

Nesse sentido, ele aproveitou para reforçar a importância da sanidade animal neste mercado e frisou que o Brasil é um dos poucos países do mundo que não enfrentam problemas como a peste suína africana e a gripe aviária. Para o consultor, o potencial de crescimento nas exportações de proteína animal ainda é muito grande.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *