ECONOMIA – Agropecuária registra geração de mais de 7,7 mil empregos em setembro

De acordo com os dados do Caged, do Ministério da Economia, setor acumula mais de 102 mil vagas com carteira assinada no acumulado do ano

+caminhos da safra - soja - porto - rodovia - máquinas agrícolas - bahia - Chapada Diamantina (Foto: Fellipe Abreu/Editora Globo)

Agropecuária registoru o quinto mês de saldo positivo de empregos desde abril (Foto: Fellipe Abreu/Editora Globo)

A Agropecuária brasileira gerou 7.751 empregos formais em setembro deste ano, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Foi o quinto mês seguido em que as admissões superaram as demissões desde abril, quando registrou saldo negativo de vagas. Os números consideram agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

O setor agropecuário contabilizou em setembro 67.215 admissões e 59.464 demissões. Um desempenho puxado pela região Nordeste, com saldo positivo de 8.864 mil postos de trabalho com carteira assinada. O Norte gerou 517 vagas. Já o Sul (-31), Sudeste (-1.343) e Centro-oeste (-256) demitiram mais que contrataram. O salário médio na admissão caiu 0,11% em setembro: R$ 1.426,01.

Os dados foram divulgados pelo governo na quinta-feira (29/10). De acordo com o Caged, todos os setores da economia contrataram mais do que demitiram no mês passado. O destaque ficou com a indústria, que encerrou setembro com a geração de 110.868 vagas com carteira assinada. Depois, aparecem serviços (80.481), comércio (69.239) e construção (45.249).

Acumulado do ano

Considerando os nove primeiros meses do ano, a Agropecuária ainda é o setor com maior geração de empregos, de acordo com os números do Caged. Foram 102.467 vagas formais de trabalho, com 659.493 contratações e 557.026 demissões no período.

Outro setor da economia com desempenho positivo no acumulado de janeiro a setembro é o da construção. Foram geradas 102.108 postos com carteira assinada, com 1.157.064 pessoas contratadas e 1.054.956 demitidas. Na indústria, foi contabilizado um saldo positivo de 689 empregos. Já o Comércio (-345.677) e os Serviços (-418.040) dispensaram mais do que contrataram no período.

No resultado geral da economia, o fato de setembro ter sido o terceiro mês seguido de resultado positivo na geração de emprego ainda não foi suficiente para reverter o quadro acumulado do ano. Segundo o Caged, o país encerrou os nove primeiros meses de 2020 com saldo negativo de 558.597 vagas formais, resultado de 10.617.333 admissões e 11.175.930 demissões.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *