Dólar mais caro vira sinônimo de prosperidade para produtor rural

 

Em loja de carros, agricultores querem comprar até duas caminhonetes de uma vez e ainda têm que enfrentar longa lista de espera.

A cotação do dólar subiu nesta terça-feira (20) pra R$ 3,90. E pro setor mais dinâmico da economia brasileira, esse dólar mais caro tem sido sinal de prosperidade.

Nas terras onde mais se produz grãos no país, tem produtor rural rindo à toa. E mesmo com a dívida que fez pra instalação de silos na propriedade, o Seu Sérgio também tá dando risada.

"Tem motivo pra comemorar, sim", afirma o produtor rural.
É que o financiamento foi feito em reais. E tá tranquilo pra pagar com o lucro da soja e do milho, que são vendidos em dólar.

Aliás, com a moeda americana perto dos R$ 4, deu também pra comprar uma colheitadeira de R$ 800 mil, o caminhão de R$ 600 mil. Dá pra dizer que os negócios estão bombando.

“Graças a subida do dólar nos produtos que você exporta, como é o caso da soja e do milho", diz Sérgio Stefanelo.

A loja de carros está com o movimento parecendo uma padaria, os agricultores entram e pedem duas, três, quatro caminhonetes. Um deles queria duas de quase R$ 200 mil, cada. Entrou pra lista de espera que já tem quase cem pessoas. O gerente está rindo à toa.

Mas os negócios no campo são parecidos com o clima, que pode mudar a qualquer instante. Por isso, essa mudança constante no dólar faz o agricultor se sentir como se estivesse plantando sem saber o que vai colher no futuro.

É que não se sabe como vai estar a moeda americana na colheita da soja, daqui a quatro meses.
E os insumos pra plantar a safra também foram comprados em dólar, já alto. Se o dólar cair, o lucro da soja despenca junto.

“Se acontecer a queda e a pessoa não travar os custos, a perda seria bastante significativa só na variação cambial”, explica o consultor rural Paulo Sério Assunção.

O Valdecir teve o maior lucro na safrinha de milho dos últimos 20 anos. Está cauteloso, sem saber ainda o que vai fazer na próxima safra.

"Qual é o economista que hoje que consegue falar o dólar daqui cinco dias? Quem dirá quatro meses. A gente está no escuro. Estamos entrando numa safra completamente no escuro”, afirma o produtor rural Valdecir Chiamulera.

Ao longo de dois mil hectares está plantando esperança de que o cenário para o produtor continue do jeito que está.

Fonte :Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *