Divergências sobre TEC do trigo

Associação Brasileira da Indústria de Trigo (Abitrigo) reivindicou junto ao Ministério da Agricultura a manutenção da Tarifa Externa Comum (TEC) zerada para o cereal em 2014, que vence em 30 de novembro. Pelos cálculos da entidade, o Brasil aumentará a dependência dos EUA e Canadá para 2,5 milhões t. Caso o governo concorde, haverá abatimento de 10% no preço final.

A indústria e os produtores gaúchos são contrários. O presidente do Sinditrigo, José Antoniazzi, avalia que o RS terá uma boa produção (2,7 milhões t), o que não justificaria essa facilitação para a entrada do grão. ‘Somos pela defesa do trigo gaúcho.’ A Fecoagro faz coro. ‘O pleito da federação é que a TEC não esteja em vigor neste período de colheita e comercialização’, afirma o superintendente Tarcísio Minetto. Ele considera que a medida pode influenciar no preço ao produtor. Para evitar que a isenção seja renovada, a Fecoagro encaminhou documento aos ministérios da Agricultura e Relações Exteriores.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *