Discussão sobre água envolve cidades, afirma ministra do Meio Ambiente

Recursos hídricos

América Latina terá, em 2013, cerca de 93% da população vivendo em cidades, destaca Izabella Teixeira

por Portal BrasilPublicado: 24/04/2014 14:57Última modificação: 24/04/2014 14:57

Paulo de Araújo/MMA

Izabella: concentração urbana preocupa

Izabella: concentração urbana preocupa

Itens relacionados

Agência Fluvial de Juazeiro realiza Projeto “Marinha do Amanhã”

Recursos Hídricos: Dilma inaugura 1ª etapa do Sistema Adutor Pajeú

Obras estruturantes expandem oferta de água no semiárido

Ministros visitam obras no São Francisco pelo segundo dia consecutivo

A gestão responsável dos recursos hídricos exige atenção ao meio ambiente urbano. Segundo a ministra do Ambiente, Izabella Teixeira, a discussão sobre água envolve cidades e a segurança hídrica tem que figurar no debate global. "A América Latina, em 2030, terá cerca de 93% de sua população vivendo em cidades. Qualquer modelo de gestão que a gente queira discutir, a questão do meio ambiente urbano estará presente e isso é uma tendência global”, destacou a ministra.

A afirmação foi feita na abertura do 1º Encontro das Águas de Goiás (Enago), em Goiânia, nesta quarta-feira (23). “É um debate global. Todos os países do planeta estão discutindo segurança hídrica. Estamos falando do tripé acesso, qualidade e eficiência”. O evento, realizado no Centro de Convenções de Goiânia, segue até esta sexta-feira (25).

Com o tema “A água como fator de produção e sustentabilidade”,  a ação busca promover a capacitação e a discussão acerca da gestão das águas no estado. Além de gestores do governo federal e estadual, participaram representantes da comunidade técnico-científica, sociedade civil, agentes públicos, professores, pesquisadores, consultores, empreendedores, estudantes e demais interessados.

“Goiás se apresenta com a maturidade necessária para realizar a gestão das águas de forma integrada e participativa visando tornar nosso crescimento econômico mais perene e sustentável, pois sem a água, fator de produção insubstituível, não estaríamos galgando os níveis de desenvolvimento de hoje e de nosso futuro”, afirmou a secretária Jackeline Fleury. O 1º Enago acontece no Centro de Convenções de Goiânia e termina nesta sexta-feira (25).

Berço das Águas

Goiás possui 246 municípios e tem sua atividade econômica principal ligada ao setor agrário. Os principais usos dos recursos hídricos são: irrigação e uso agropecuário, abastecimento público, turismo, indústria e geração de energia elétrica. Por estar localizado nas cabeceiras de três importantes Regiões Hidrográficas (Tocantins/Araguaia, São Francisco e Paraná), muitas vezes é chamado de “Berço das Águas”.
As ações adotadas em Goiás apresentam reflexos importantes em outras regiões do país. “Goiás é, junto com Minas Gerais, a caixa d’água do Brasil, importantes rios brasileiros nascem aqui. A proteção, a criação de áreas protegidas no Cerrado são estratégicas”, alertou Izabella Teixeira.

Fonte:
Ministério do Meio Ambiente

Fonte: Portal Brasil