- Ricardo Alfonsin Advogados - https://alfonsin.com.br -

Dirigentes do Serviço Florestal Brasileiro falam sobre Cadastro Ambiental Rural no Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuária

Políticas de sustentabilidade do Governo Federal para os municípios são apresentadas em sala temática

O painel “A Promoção do Desenvolvimento Sustentável nos Municípios” do Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuária aconteceu nesta quarta-feira (6/11), no Centro Internacional de Convenções do Brasil, e teve a participação do diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, do chefe da Assessoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), João Adrien, do coordenador de Sustentabilidade da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuário do Brasil (CNA), Nelson Filho, do coordenador-geral de Mudanças Climáticas, Elvison Ramos, e da diretora de Cadastro e Fomento Florestal do Serviço Florestal, Jaine Cubas.

O painel iniciou com a fala do assessor João Adrien que explicou a nova estrutura do Mapa ampliada para oito secretarias e a forma como são desenvolvidos e priorizados os programas de sustentabilidade. “A agricultura familiar, a regularização fundiária, a implementação do Código Florestal Brasileiro e o manejo florestal, dentre outras agendas, tornam o nosso desafio de conciliar produção, preservação e desenvolvimento sustentável intrínseco ao Mapa”, disse Adrien.

Valdir Colatto fez um panorama das atribuições do Serviço Florestal Brasileiro dentro do escopo do Mapa, destacando a agenda de gestão florestal com foco no desenvolvimento sustentável. O diretor-geral destacou a importância das informações coletadas pelo Inventário Florestal Nacional em 18 estados como subsídio para a formulação de políticas públicas. Falou da importância das concessões florestais e do manejo sustentável para a conservação das florestas públicas com geração de renda. A meta atual é ampliar a área concedida de 1,05 milhão de hectares para 4 milhões até 2022.

“É preciso estarmos todos engajados no fortalecimento da economia florestal para o desenvolvimento sustentável. Os produtos florestais madeireiros e não madeireiros são fonte de renda e de geração de empregos diretos e indiretos. Ressaltou ainda que os 10 milhões de hectares de florestas plantadas são responsáveis por 90% da madeira usada no país e exportada, sendo que a madeira representa a terceira commodity de exportação”, completou.2019 11 06 CongressoGestores 2

A diretora de Cadastro e Fomento Florestal, Jaine Cubas, explicou a importância do Cadastro Ambiental Rural (CAR) na implementação do Código Florestal Brasileiro. Destacou ainda que o Serviço Florestal Brasileiro está desenvolvendo um sistema dinamizado para a análise dos 6,2 milhões de imóveis rurais já cadastrados na base de dados do Sistema Nacional do Cadastro Ambiental Rural (Sicar). “A análise dinamizada é uma resposta célere ao proprietário/possuidor que já fez o seu cadastro e vai permitir que ele acesse o Programa de Regularização Ambiental em caso de passivo ambiental ou entre nas Cotas de Reserva Ambiental (CAR)”, detalhou.

O coordenador-geral de Mudanças Climáticas, Elvison Ramos, falou da necessidade do Programa de Regularização Ambiental “pensar a propriedade como um componente da paisagem, estabelecendo opções de recuperação com produtividade respeitando a legislação”. Nelson Filho (CNA) defendeu que é preciso oferecer segurança ao produtor rural que deseja legalizar sua propriedade rural perante ao Código Florestal. A CNA por meio do Projeto ABC vai acompanhar o produtor desde a sua decisão de acessar o PRA até o acompanhamento técnico de como fazer a recuperação ambiental visando o menor custo e maior retorno produtivo.

“Pelo Projeto ABC, nós vamos oferecer uma proposta pronta de recuperação área degradada visando o retorno produtivo ao proprietário que declarar interesse em regularizar seu passivo ambiental por meio do Programa de Recuperação Ambiental”, finalizou.

O Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuário é organizado pelo Mapa, pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), pela CNA e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e tem como público alvo prefeitos, secretários municipais de Agricultura, técnicos extensionistas, representantes de Sindicatos de Produtores Rurais e todos os atores envolvidos com o agronegócio no país.

O encontro tem como tema “É nos Municípios que se produz o Desenvolvimento” e acontece até amanhã (7/11) e tem o objetivo de integrar as políticas públicas para o setor agropecuário dos governos federal, estadual e municipal e fazer a sua divulgação dentro do setor produtivo, bem como, ouvir as críticas e sugestões dos produtores rurais, dos clientes finais de tais iniciativas para o seu aperfeiçoamento e para a implementação de novas políticas públicas.   

Fonte: Florestal

Compartilhe!