"Direto da Redação": Corte ao agronegócio

Nomes de peso do agronegócio hoje estão sendo cortejados e protagonizam situações bizarras, como a que ocorreu com o deputado ruralista Ronaldo Caiado e a ex-senadora Marina S…

O ano de 2013 já terminou para o agronegócio. Com o plantio da safra 2013/2014 encaminhado e na maioria das culturas encerrado e as projeções indicando um repeteco das últimas temporadas, com recorde na produção e ampliação de área menor do que o avanço da produtividade, o setor rural é paparicado por todos os segmentos, em especial a política, que vislumbra aproveitar esse bom momento do setor.

Responsável por 23% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, 33% dos empregos no País e dois quintos das exportações,   o setor promete um 2014 de novos recordes e de novos problemas na logística e na infraestrutura, os grandes gargalos que sufocam o sucesso conseguido até aqui.

Nomes de peso do agronegócio hoje estão sendo cortejados e protagonizam situações bizarras, como a que ocorreu com o deputado ruralista Ronaldo Caiado e a ex-senadora Marina Silva, quando ela se filiou ao PSB. Por outro lado, a primeira-dama da agropecuária, senadora Kátia Abreu, saiu do PSD e embarcou no PMDB, principal sustentação da administração Dilma Roussef.

No Estado de são Paulo, a vez do filho do rei da cana, Maurílio Biaggi Filho, se aproximar do poder ao se filiar ao PSD para garantir uma vaga de candidato a vice-governador na chapa petista em 2014.
Por outro lado, os opositores do PT também avançam sobre o setor tentando catalisar o descontentamento ao governo federal.

Pelo visto, mais uma vez o agronegócio será o fiel da balança. Resta saber para onde irá pender.

Fonte: DCI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *