DIRETAS DE NÃO-ME-TOQUE

Com o aumento inesperado de 5% no preço do óleo diesel nas refinarias da Petrobras, o produtor terá que desembolsar R$ 61 milhões a mais por ano. A análise é do economista da Farsul, Antonio da Luz. O aumento causa um impacto direto de 4% nos custos totais da lavoura e os mais atingidos são arroz, milho, soja e trigo. No médio prazo, o impacto obrigará os produtores a desembolsarem, só para cobrir o aumento, R$ 100 milhões, pois a elevação no diesel aumentará os custos de transporte tanto para trazer os insumos para a propriedade quanto para escoar as safras. Na lavoura de arroz, que usa o diesel também para irrigação, o custo extra representa um saco de arroz por hectare.

Os preços do leite devem ficar remuneradores ao produtor no primeiro trimestre. Depois disso, segundo Gustavo Beduschi, analista de Ramos e Mercados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), PIB de baixo crescimento e custos de produção elevados devem tornar o quadro mais nebuloso. Beduschi palestrou ontem no Fórum do Leite. ‘O custo do produtor está muito alto e o milho sofre no momento a pressão de estoques reduzidos’, diz o analista. A demanda interna, por outro lado, manteve-se num crescimento discreto nos últimos três anos, depois de evoluir de forma bem mais acelerada anteriormente. ‘Será que estamos na inflexão da curva?’, questionou. Em 2010, o consumo per capita foi de 172 litros, enquanto em 2011 e 2012 foi de 176 e 177 litros, respectivamente.

O dia de sol e temperatura amena atraiu 63 mil pessoas para a Expodireto ontem. O público desta quarta-feira – o maior até agora – é 40% superior ao do terceiro dia da feira em 2012. Até ontem, 134,9 mil visitantes já tinham passado pelo parque, em Não-Me-Toque.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *