DIRETAS DE NÃO-ME-TOQUE

Entidades ligadas aos pequenos agricultores defenderam, ontem, durante a abertura do Pavilhão da Agroindústria Familiar, a necessidade de desburocratização do processo de adesão aos programas Susaf e Suasa, que permitem a venda de produtos entre estados e municípios. ‘É preciso simplificar procedimentos, não a qualidade’, disse o presidente da Fetag, Elton Weber. O secretário do Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan, reconheceu a existência de entraves. ‘Precisamos dar um passo adiante para que as agroindústrias não precisem mais de um decreto para participar de feiras.’ O secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, prometeu uma ‘cruzada’ para obter o envolvimento dos municípios no processo.

A expectativa de previsão de crescimento nas vendas do pavilhão da Agroindústria Familiar é de 13,6%, totalizando R$ 500 milhões.

Ontem, na inauguração do pavilhão, o governador Tarso Genro entregou a Natalino Gewinski, da agroindústria Embutidos Lajeado Henrique, de Erechim, o certificado de número mil de credenciamento no programa Sabor Gaúcho, um selo de referência de qualidade. Pavan também informou que, até o próximo dia 15, sairá a primeira licitação de espaço na Ceasa a agroindústrias.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *