Diplomata e credores longe de acordo

A proposta de pagamento da dívida de R$ 16 milhões que a Diplomata mantém com produtores integrados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina foi rejeitada. De acordo com o coordenador da Fetraf-Sul/Cut, Alexandre Bergamin, os credores com maior volume de dinheiro a receber não aceitaram perder 20% do valor acordado. ‘Propuseram o pagamento de 80% da dívida em cinco anos, com um ano de carência, o que é um absurdo’, disse. ‘Dois anos até podemos esperar, mas desde que seja o valor integral e com pelo menos 0,5% de juro ao ano. E que a metade da dívida seja quitada até o final deste ano’, concluiu o representante dos avicultores. A tentativa de acordo ocorreu dia 5 em Cascavel (PR).

De acordo com Bergamin, uma nova assembleia foi agendada para 5 de novembro, data em que a empresa deverá apresentar um plano de quitação da dívida. Segundo ele, o passivo da Diplomata ultrapassa os R$ 600 milhões, enquanto o capital é de pouco mais de R$ 200 milhões. ‘É uma situação muito delicada. Temos de ter muita cautela, do contrário a empresa pode decretar falência. Nesse caso, ninguém ganha nada’, ponderou. Bergamin defendeu equalização de direitos entre trabalhadores e produtores rurais. A diretoria da Diplomata não foi localizada.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *