Diminui a fatia de robusta no produto torrado e moído

A grande oferta de cafés arábicas de pior qualidade nesta safra 2013/14 fez diminuir a demanda pelo café robusta, considerado menos nobre e usado nos blends pelas torrefadoras brasileiras. A queda na demanda é reflexo do maior uso nas misturas dos cafés arábicas de bebida rio e riada, cujos preços estão mais baixos que os do robusta.

Com a mudança, a estimativa é que participação do robusta (conilon) nos "blends" de café torrado e moído já tenha recuado de 50% para 30% a 35%, segundo Bruno Forzza Sarcinelli, diretor da Custódio Forzza Comércio e Exportação Limitada, do Espírito Santo. O Estado é o maior produtor nacional de café robusta.

De acordo com Sarcinelli, há cerca de 45 dias a demanda pelo café robusta diminuiu e os preços do produto, que chegaram a R$ 250 a saca em maio deste ano, recuaram para os atuais R$ 215 por saca. O café arábica bebida rio, por exemplo, é negociado no Sul de Minas Gerais por R$ 160 a saca, ante R$ 190 a R$ 200 dez dias atrás.

Nathan Herszkowicz, diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), afirma que o maior uso de cafés arábicas em detrimento dos robustas vem ocorrendo há cerca de dois meses em muitas torrefações.

Assim, o percentual de 50% do robusta na composição dos blends de torrado e moído atualmente já recuou, embora a entidade não tenha ainda uma estimativa de qual seja o percentual. "A indústria enxerga nisso [queda no preço do arábica] oportunidade de novamente fazer uma mudança gradual do blend. Sessenta a setenta reais por saca é uma diferença enorme", declara.

Com o recuo dos preços do café conilon no mercado interno, os produtores dessa espécie começaram há cerca de 15 dias a reter o produto, à espera de melhora na cotação, diz Sarcinelli. Antes, vendiam de forma escalonada para pagar o custeio da colheita, encerrada entre julho e agosto. (CF)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3293624/diminui-fatia-de-robusta-no-produto-torrado-e-moido#ixzz2gl28jnfw

Fonte: Valor | Por De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *