Dilma afirma que Brasil necessita de setor agropecuário competitivo

Presidente destacou a importância das parcerias entre as empresas públicas e privadas

MARCIA RIBEIRO/ FOLHAPRESS – JC

Dilma Rousseff participou da cerimônia de abertura da 80ª Expozebu, realizada em Uberaba, Minas Gera

Dilma Rousseff participou da cerimônia de abertura da 80ª Expozebu, realizada em Uberaba, Minas Gera

Em discurso realizado no sábado, na abertura da 80ª Expozebu, em Uberaba (MG), a presidente Dilma Rousseff destacou a importância das parcerias entre as empresas públicas e privadas para o desenvolvimento da agropecuária brasileira. “Temos um resultado extraordinário que será visto nos oito dias do evento. Esta parceria é um exemplo para o todo Brasil, que vai precisar cada vez mais de parcerias bem sucedidas para levarmos adiante nosso desenvolvimento”, disse a presidente.

De acordo com Dilma, o País necessita de inovação para enfrentar o desafio da competitividade. “Cada vez mais precisamos de produção agropecuária competitiva e sustentável. Isso significa aumentar a qualificação do trabalho, através, sem dúvida, da educação. No nosso caso, da educação técnica e qualificação profissional. Isso exige comprometimento da construção da infraestrutura logística”, disse, citando as Parcerias Público-Privadas (PPPs) e também obras públicas do governo como aeroportos, rodovias e gasodutos, entre outras.

Dilma afirmou ainda que seu governo “tem buscado contribuir para a equação entre produtores e tecnologia por meio de iniciativas concretas”. Nesse sentido, a presidente destacou o fortalecimento do plano agrícola e de pecuária, “construído a partir do diálogo” com representantes do setor. Mencionou, entre as medidas adotadas, as taxas de juros baixas, a ampliação de financiamentos e a política do preço mínimo para dar segurança aos produtores.

Segundo a presidente, dos R$ 136 bilhões para o crédito rural na safra 2013-2014, R$ 116 bilhões já haviam sido contratados até março. “Hoje, portanto, esse número é maior”, disse.

O governo deverá fortalecer fortalecer o financiamento para pecuaristas adquirirem bovinos e matrizes. A presidente destacou programas de estímulo e desenvolvimento da agropecuária brasileira lançados pelo governo para aumentar a produtividade do campo. Entre eles, a presidente mencionou o Inova-Agro e crédito para a agricultura que consome baixos índices de carbono.

Dilma Rousseff enfatizou em seu discurso a atenção do governo em relação à sanidade animal, tema “decisivo para as exportações de carne” e para as relações bilaterais e multilaterais. “Sempre que pudermos, nos colocaremos na ofensiva nas relações comerciais”, disse. “Persistimos atuando de forma firme e fortalecendo nosso sistema de vigilância para conquistar o rótulo de área livre da aftosa, para evitar surgimento de barreiras às exportações e ampliar mercados”, disse. “Sempre que necessário, meu governo atuou em áreas de negociação com outros países”, acrescentou.

De acordo com a presidente, o governo finalizará em breve a elaboração do plano agrícola e pecuário da safra 2014-2015. “Queremos sugestões e propostas, pois queremos melhorar a cada ano e garantir instrumentos e medidas cada vez mais adequados ao apoio à agropecuária. Vamos manter as diretrizes dos anos anteriores, como ampliar recursos e simplificar procedimentos”, observou Dilma. “Queremos avançar mais, criando condições para o aumento da competitividade da agropecuária. Precisamos ampliar o acesso dos pequenos produtores à assistência técnica da produção rural”, complementou.

Regulamentação do Cadastro Ambiental Rural será publicada hoje

Durante a abertura da 80ª Expozebu, a presidente Dilma Rousseff informou que será publicado nesta segunda-feira o decreto com as regras necessárias à implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR).

“O CAR permitirá dar início aos processos de recuperação ambiental rural previstos no novo Código Florestal”, disse a presidente. Introduzido pelo novo Código Florestal, aprovado em 2012 pelo Congresso, o cadastro estabeleceu a obrigatoriedade de que todas as 5,6 milhões de propriedades e posses rurais do País façam parte do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR).

Assim que o governo federal publicar o decreto, os proprietários rurais terão um ano para cadastrar suas terras. O proprietário deve especificar as áreas destinadas à produção e aquelas de conservação ambiental. “Todos os proprietários, a partir daí, terão um ano para aderir ao programa e regularizar a situação das áreas de uso restrito e reserva legal”, disse Dilma.

Segundo a presidente, o CAR será um instrumento para melhorar a gestão das propriedades e garantir a segurança jurídica pedida pelos produtores.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *