Dificuldade de comercialização leva citricultores a descartar pés de laranja em São Paulo

Segundo especialistas, situação deve se repetir na próxima safra

Josy Bittencourt | Artur Nogueira (SP)

Miro de Souza

Foto: Miro de Souza / Agencia RBS

Dificuldade de comercializar a produção leva produtores a arrancar os pés da fruta em SP

Produtores de laranja do Estado de São Paulo estão arrancando pés da fruta por causa da dificuldade de comercializar a produção. A indústria, que no ano passado tinha um estoque de passagem de 250 mil toneladas, agora saltou para mais de 600 mil toneladas. Segundo a as previsões de especialistas, o cenário pode se repetir na próxima safra.
O produtor Edson Bassi, de Artur Nogueira, a 160 quilômetros de São Paulo, esperava colher 160 mil toneladas de laranja precoce, da variedade raming. Segundo ele, a indústria, que antes comprava 80% da produção, nessa safra não comprou nada. Para o presidente da Informa Economics, Maurício Mendes, se a próxima safra for tão grande quanto a atual, a situação deve se repetir. 
O cenário parece ser ainda mais complicado quando se observa de perto alguns pés de laranja. Muitos já estão floridos, o que indica a proximidade de mais uma safra. Com a nova florada, o citricultor diz que vai ter que fazer pelo menos 20 pulverizações. A situação do produtor se repete em outras propriedades próximas. Bassi conta que há 20 dias viu o produtor vizinho, que está há mais de 40 anos na cultura, arrancar cinco mil pés da fruta.

Os estoques de passagem das indústrias até junho estavam em 650 mil toneladas, contra 250 mil toneladas no mesmo período do ano passado. A situação pressiona ainda mais o mercado. Na opinião de Mendes, o produtor precoce não deve esperar muito. Segundo ele, o prejuízo é inevitável, mas aquele que planta a variedade tardia, ainda poderá ver uma luz no fim do túnel com o pacote de medidas do governo.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *