Destaques – Roubo de carga

A 5ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou a Souza Cruz ao pagamento de R$ 35 mil de indenização por danos morais a um ex-empregado vítima de assaltos durante o transporte de cargas. A turma aplicou entendimento prevalecente na Corte no sentido de que o transporte de mercadorias visadas, como os cigarros, constitui atividade de risco, acarretando a responsabilidade objetiva do empregador. O motorista foi vítima de dois assaltos em menos de três meses. Na reclamação trabalhista ele conta que em um deles, além de permanecer refém dos bandidos, foi trancado no baú da camionete com a qual trabalhava, sendo libertado somente após a chegada da polícia. Para o trabalhador, houve negligência e imprudência da empresa, que deveria garantir a segurança de sua frota, visto que lida com transporte e armazenamento de bens que a tornam alvo de roubo. A Souza Cruz afirmou que faz um grande investimento em sistemas de segurança e promove todas as medidas que estão ao seu alcance, com foco na prevenção e no treinamento de seus empregados. Em sua defesa, sustentou que a pretensão do empregado deveria ter sido dirigida ao Poder Público, que detém o dever constitucional de ofertar segurança pública.

Banco condenado

A 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) condenou o banco HSBC a pagar a um correntista residente em Baependi, Sul de Minas, R$ 40 mil por danos morais e R$ 20.255,07 por danos materiais, por ter não autorizado o pagamento da taxa requerida pela imigração canadense através do cartão de crédito do cliente, apesar de haver crédito, em processo para concessão de residência permanente no Canadá. Por esse motivo, o cliente e sua família tiveram negado o visto para trabalhar e residir no país.

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *