Desconto na tarifa de energia elétrica para agricultores que usam irrigação pode ser suspenso

De acordo com a Aneel, uma portaria prorrogando o prazo do benefício está sendo estudada

Andrea Parise | Brasília (DF)

Leila Endruweit

Foto: Leila Endruweit / Agencia RBS

Custo deve ser de até 200% a mais na fatura

Agricultores que utilizam irrigação no país poderão perder o desconto na conta de energia elétrica. O benefício deve acabar no início de dezembro, gerando um custo de até 200% a mais na fatura. A expectativa é que uma portaria possa prorrogar o prazo.
>>Custos com irrigação podem aumentar até 200%

O agricultor Henrique Gonzatti é um dos 130 produtores que usam a irrigação, em Cristalina, em Goiás. A propriedade dele tem mil hectares e conta com 10 pivôs. Só com energia elétrica, ele gasta cerca de R$ 100 mil por mês. Se a tarifa reduzida, que vigora entre 11 da noite e 5 da manhã for suspensa, o valor vai saltar para R$ 150 mil.

– Vai ficar difícil, se o preço subir, isso vai refletir no preço dos produtos. Senão, não tem como pagar para plantar – diz o produtor.

– Dimensionando o impacto de R$ 50 por hectare no custo da energia, considerando um município que irriga 50 mil hectares, são R$ 2,5 milhões de incremento na conta de energia que o agricultor não vai conseguir repassar – salienta o presidente Associação dos Irrigantes de Goiás, Vitor Simão.

O decreto presidencial que prevê o fim do beneficio para os agricultores irrigados em todo o país, foi publicado em janeiro. A expectativa é que o reajuste nas contas de luz varie entre 50% e 200%, depende do tipo de sistema de irrigação utilizado.

– Foi uma grande surpresa. A partir de um decreto presidencial o governo reduziu o incentivo da irrigação noturna no país todo. E a mesma presidência fala em dobrar a área irrigada do país em quatro anos. Isso nos pareceu bastante contraditório – disse Simão.

Gonzatti diz que o impacto já deve ser sentido nesta safra.

– Eu já estou planejando diminuir a área irrigada, pois não vai viabilizar o plantio. Vai ficar muito caro – diz o agricultor.

Em nota, o Ministério de Minas e Energia afirma que não há previsão de mudança na tarifa para os irrigados. E que o tema está sendo analisado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com a Aneel, além dos seis milhões de agricultores, 4,5 milhões de aquicultores também têm direito à tarifa verde, totalizando mais de 10,5 milhões de usuários. Segundo a entidade, uma portaria prorrogando o prazo do benefício está sendo estudada.

– Portarias têm efeito limitado de tempo e podem alterar posteriormente o decreto. O que resolve é um ajuste nesse decreto para que seja possível que esses produtores continuaem praticando a irrigação. Ou no mínimo fazer um estudo econômico para ver qual a taxa que poderia ser aumentada, sem impactar nessa produção, ou restringir a área que, hoje, é produzida, e não deixar de incentivar as áreas futuras que poderiam estar crescendo – salienta o diretor-executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja), Fabrício Rosa.
>>Dilma sanciona lei que permite redução nas tarifas de energia elétrica

>>Aneel fixa prazo para concessionárias de energia elétrica atenderem área rural

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *