Desafio externo

De uma hora para outra, a avicultura brasileira viu seus custos com ração subirem mais de 40%, e o preço da carne de frango, pouco mais de 20%. A conta não fecha. Por isso, o setor, que gera mais de 3,5 milhões de empregos diretos e indiretos, busca ampliar suas vendas para o mercado externo onde os preços dão sinais de recuperação.
O presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra, adianta que a organização aposta em várias missões internacionais até novembro. França, Cuba, China, Índia, Malásia, Indonésia e Tailândia estão na rota dos avicultores.
– A oportunidade para o Brasil hoje está mais forte lá fora, porque a redução de produção avícola ocorre em todo o mundo, inclusive aqui. Menos ração, menos produto – explica Turra.
Com isso, o país caminha para ser o maior exportador mundial de carne de frango em receita e em volume.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho