Depois do leite, a vez do vinho ganhar as redes

Campanha da Associação Brasileira de Enologia (ABE) vai até o dia 5 de julho e sorteará um ano de entrega mensal de seis rótulos

08/06/2020 – 20h46minAtualizada em 08/06/2020 – 20h46min
GISELE LOEBLEIN

Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Safra de uva do Rio Grande do Sul, que concentra a produção nacional de vinhos, foi menor, mas qualidade é históricaMarcelo Casagrande / Agencia RBS

Depois do leite, que ganhou as redes sociais por conta de desafio lançado para incentivar o consumo, será a vez do vinho estar na grande vitrine das plataformas virtuais. Ação lançada pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) e que se estende até o dia 5 de julho busca relatos de quem aprecia o universo vitivinícola. Os depoimentos em vídeo, com até um minuto, deverão ser postados no Instagram com a #euamovinhobrasileiro. O formato escolhido surgiu da percepção de que a pandemia fez as pessoas de reviverem e compartilharem memórias.

– Notamos que há muito espaço para boas histórias, bons exemplos. Também é uma forma de provocar o consumidor nessa nova rede de contatos – explica o enólogo Daniel Salvador, presidente da ABE.

Para incentivar a participação, os organizadores farão um sorteio. Que dará ao vencedor o direito de receber, todos os meses, durante um ano, caixa com seis garrafas de vinho. Outros quatro serão sorteados para participar da Avaliação Nacional de Vinhos da Safra 2020, que neste ano foi reagendada para 7 de novembro. O evento ocorre  em Bento Gonçalves, na Serra.

Matéria-prima o Brasil tem de sobra. O país soma 1,1 mil vinícolas em 26 regiões de 10 Estados diferentes. A produção anual gira em torno de 310 milhões de litros, variando conforme a safra de uva. O Rio Grande do Sul tem posição de destaque, por concentrar cerca de 90% da produção da bebida. Neste ano, o  Estado teve colheita de qualidade histórica.

A proposta da associação foi lançada, como não poderia deixar de ser neste momento, em uma live no dia do vinho. Teve a participação da sommelier argentina e apresentadora Cecília Aldaz, do chef, empresário e apresentador francês Olivier Anquier e do sommelier brasileiro Rodrigo Ferraz, que também dividiram seus relatos.

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!