Dependência do Brasil de trigo de fora será a mais baixa desde 2008

Tradicional importador de trigo, o Brasil vê a cadeia produtiva nacional se "ajustar" às incertezas que cercam alguns importantes países exportadores e deverá colher em 2014 a maior safra do cereal de sua história, como confirmaram novas estimativas divulgadas ontem por Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já turbinada por um aumento da área plantada de 18,4% em relação ao ano passado, para 2,617 milhões de hectares, e com o clima até agora favorável nos principais Estados produtores (Paraná e Rio Grande do Sul), a colheita deverá crescer expressivos 33,4% e chegar a 7,373 milhões de toneladas neste ano, conforme a Conab. Com isso, as importações tendem a recuar quase 18%, para 5,5 milhões de toneladas.

A queda das importações não será maior porque a autarquia estima uma alta de 6,7% no consumo doméstico em 2014, para 12,192 milhões de toneladas, e um incremento de 16,8% nos estoques finais do produto, para 1,259 milhão de toneladas. Ainda assim, a produção, se todas previsões se confirmarem, representará 60,5% do consumo, o maior nível desde 2008 (62,6%). A Conab ressalva que o quadro de suprimento de trigo da safra 2013 só estará 100% concluído no mês que vem, após os dados de importação de exportação deste mês de junho.

Além das restrições que travaram a produção na Argentina, historicamente o maior fornecedor do cereal para o Brasil, as tensões na Ucrânia, que se fortalecia como uma alternativa de peso, alavancaram os preços no mercado interno e impulsionaram o plantio doméstico. Nesse contexto, cresceu inclusive o poder de barganha dos produtores brasileiros. Para José Gilmar Oliveira, corretor da Safrasul Agronegócio, de Ponta Grossa (PR), o cenário deve manter o mercado com baixa liquidez até o início da colheita, em agosto.

Como foi 7,1% superior ao volume previsto em maio, a nova estimativa da Conab para a colheita de trigo este ano também colaborou para elevar o volume previsto para a produção de grãos como um todo do país nesta safra 2013/14.

Conforme a autarquia, serão, no total, 193,566 milhões de toneladas, 2,6% mais que em 2012/13 e novo recorde histórico. A produção será puxada pela soja (86,052 milhões de toneladas, aumento de 5,6%, mas a colheita de milho também será maior que a projetada anteriormente – poderá chegar a 77,887 milhões de toneladas, ainda 4,4% inferior a do ciclo anterior. (Colaboraram Fernando Lopes e Camila Souza Ramos)

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3580706/dependencia-do-brasil-de-trigo-de-fora-sera-mais-baixa-desde-2008#ixzz34Ki3Bc25

Fonte: Valor | Por Bettina Barros, Luiz Henrique Mendes, Fernanda Pressinott e Diogo Martins | De São Paulo e do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *