Definidos oito novos APLs para o Rio Grande do Sul

Projetos receberão R$ 4 milhões durante os próximos quatro anos

Nestor Tipa Júnior

JONATHAN HECKLER/JC

Knijnik lamentou que algumas regiões não obtiveram enquadramento

Knijnik lamentou que algumas regiões não obtiveram enquadramento

A Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI) divulgou os novos Arranjos Produtivos Locais (APLs) do Rio Grande do Sul. Os oito projetos selecionados por uma comissão constituída por oito entidades se juntam a outros 12 trabalhos que já recebem o apoio do Projeto de Fortalecimento dos APLs, coordenado pela AGDI.
Os recursos para a formação dos novos projetos serão de R$ 4 milhões em quatro anos para apoio à governança e elaboração de planos de desenvolvimento, além de um potencial de R$ 7,2 milhões por ano com os incentivos fiscais.
De acordo com o diretor de Produção e Inovação da AGDI, Sérgio Kapron, os projetos foram escolhidos com base na prioridade de regiões menos favorecidas social e economicamente e que tenham potencial de desenvolvimento, assim como pela capacidade da elaboração dos projetos. “Priorizamos principalmente o desenvolvimento de projetos na linha da política industrial, agricultura e turismo”, ressalta Kapron.
Mesmo que a Metade Sul tenha sido contemplada com projetos de APLs, o secretário de Desenvolvimento e Produção do Investimento, Mauro Knijnik, lamentou que regiões como a Campanha e a Fronteira Oeste não conseguiram o enquadramento nos critérios estabelecidos para a seleção dos novos Arranjos Produtivos Locais. “Nesses casos, teremos que fazer um trabalho que ilumine o caminho dessas regiões para que possam ser contempladas em uma próxima seleção”, salienta o secretário.
No total, foram recebidas 21 propostas avaliadas em 182 critérios. Além da importância social e econômica das regiões, foram avaliados itens como sustentabilidade, cooperação entre empresas, ações inovadoras e coordenação entre entidades associativas e universidades, entre outros. Dos oito projetos, três fazem parte da chamada Nova Economia estipulada pela política industrial gaúcha: os APLs da indústria oceânica, localizados em Rio Grande e na região Centro-Sul, e o da saúde avançada, na região Sul do Estado.
Os resultados serão publicados no Diário Oficial do Estado no dia 3 de junho. O prazo final para a entrega dos planos de trabalho e da documentação vai até o dia 23 de julho. Depois, as entidades gestoras dos APLs selecionados e o governo têm até o dia 15 de agosto para a assinatura dos convênios.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!