Debates pré-conferência ocupam espaço no Rio de Janeiro

Na véspera da abertura da Rio+20, conversas sobre modelo de crescimento sustentável já dominam as discussões

Debates pré-conferência ocupam espaço no Rio de Janeiro MARCOS DE PAULA/AGENCIA ESTADO

Ex-ministra do Meio Ambiente participou ontem do TED x Rio+20, evento preparatório no Forte de CopacabanaFoto: MARCOS DE PAULA / AGENCIA ESTADO

Na véspera da abertura da Rio+20, os debates sobre um modelo de crescimento sustentável já dominam as discussões no Rio. A parte decisiva da conferência, porém, será dos dias 20 a 22, com a cúpula envolvendo chefes de Estado.
O Rio de Janeiro já começa a respirar a Rio+20, a conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre desenvolvimento sustentável. Às vésperas do início da programação do encontro – que vai de quarta-feira até dia 22 –, o Forte de Copacabana recebeu um pré-evento com a presença da ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.
No primeiro dia da TED x Rio+20, que trata de tecnologia, entretenimento e design, a ambientalista afirmou que o Brasil não está assumindo o papel de protagonista da Rio+20 e que retirou da pauta de discussões temas ambientais importantes para o futuro.
— (O Brasil) reduziu o debate a uma discussão sobre economia, desenvolvimento social e governança separado de ecologia e subtraindo os sistemas ambientas — criticou Marina, no painel “Da Ignorância à Sabedoria”. As palestras TED x duram, no máximo, 18 minutos. Desta vez, especialistas apresentaram ideias criativas para a preservação do planeta.
Marina deve participar de alguns debates no Rio e se encontrar com autoridades da ONU.
Enquanto isso, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, pediu ontem que o conceito de “economia verde” seja ampliado.
— O Brasil defende uma economia verde inclusiva, que contemple as três dimensões da sustentabilidade: a econômica, a ambiental e a social — garantiu, em participação no Fórum sobre Ciência, Tecnologia e Inovação do Conselho Internacional de Ciências, no Rio.
O ministro ainda sugeriu a criação de um programa internacional de pesquisa com foco em sustentabilidade, com o apoio da ONU. Segundo ele, já há discussões sobre o assunto.

    Fonte: Zero Hora

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *