DANILO UCHA – Perspectivas ruins, uma análise de conjuntura

As maquininhas voltaram a atuar todos os dias, remarcando preços

As maquininhas voltaram a atuar todos os dias, remarcando preços

Diante do aprofundamento da crise econômico-financeira, associada com uma profunda crise de desentendimento político no comando do País e uma série de descobertas fantásticas sobre corrupção, os brasileiros vão ver seus problemas de trabalho, sobrevivência e até alimentação agravados nos próximos meses. Não é alarmismo nem catastrofismo, mas resultado de uma análise do desempenho da economia e do setor produtivo, indústria e comércio, que estão paralisados ou, em alguns casos, como na produção industrial, andando para trás, desempregando, diminuindo a circulação de dinheiro. Só o agronegócio, mesmo assim com dificuldades, parece ter condições de andar para a frente, plantar e colher. Há crença de um aumento geral dos produtos alimentícios. Alguns supermercados já desenterraram do fundo de suas gavetas a famosa maquininha de mudar os preços dia a dia, como no final dos anos de 1980 e início de 1990, quando a inflação chegou a 80% ao mês. Entre os anos de 1990 e 1999, a variação anual da inflação chegou a 499,2%.

Uma análise II

Não devemos chegar a tanto, mas, se continuar o descontrole do governo com os gastos públicos, o aumento da colocação de recursos da União em setores não produtivos, a diminuição da atividade geradora de bens e empregos e a consequente falta de produtos e seus aumentos de preços, a inflação vai aumentar, corroendo o poder de compra dos consumidores, num círculo vicioso, aumentando a recessão e até desvalorizando o real. Só a expansão da atividade produtiva pode conter a alta da inflação o que não é fácil de conseguir num ambiente de falta de confiança do empresariado, dificuldade de crédito por parte do governo e saída de investimentos estrangeiros, não só pelo clima interno, mas também por melhores condições oferecidas por outras regiões do mundo ao capital internacional. Os economistas dizem que tanto inflação alta quanto inflação baixa prejudicam a economia. Não há consenso, mas o ideal seria inflação entre 2% e 3%. Acima de 10% já é ruim, porque as pessoas começam a perder a noção do valor da moeda e os preços mudam mais rapidamente. No Brasil, a inflação chegou a 10,67%, em 2015, e a previsão para 2016 fica em 7% a 8%, mas há quem tema que vá mais longe. A manifestação de domingo vai dar uma ideia do clima no País.

CPMF

O Sindilojas Porto Alegre aderiu ao manifesto Basta de tanto imposto, da Fecomércio-RS, contra a volta da cobrança da CPMF. Os empresários dizem que não aguentam mais tanto imposto criado pelos governos.

Zika

A epidemia do zika vírus que atinge o Brasil custará, pelo menos, R$ 3 bilhões por ano ao País. A informação foi transmitida pelo deputado federal gaúcho Osmar Terra (PMDB), coordenador da Comissão Especial da Câmara dos Deputados para o combate ao zika vírus, em encontro da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro. Alertou que haverá aumento da demanda do judiciário por recursos para o tratamento de bebês vítimas de microcefalia.

Bombril

A Bombril, grande empresa do setor de higiene doméstica, admitiu estar em dificuldades econômico-financeiras, mas negou qualquer possibilidade de entrar em processo de recuperação judicial. Os problemas são atribuídos à piora do cenário macroeconômico do País e à alta do dólar. Marcos Henrique Scaldelai renunciou ao cargo de presidente da Bombril. Foi substituído por Luiz Gustavo Figueiredo Pereira da Silva, da consultoria RK Partners, contratada para conter a crise.

Maria da Penha

Maria da Penha, inspiradora da famosa Lei nº 11.340/06, que acabou levando seu nome, participará, às 20h, do I Colóquio de História e Saúde da Mulher, evento científico promovido pelo Centro Histórico-Cultural Santa Casa, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Ela vai proferir a conferência de abertura com a palestra Maria da Penha: da mulher à lei. O colóquio irá até domingo, com 23 palestrantes que abordarão violência de gênero, maternidade, sexualidade e câncer.

MARCO QUINTANA/JC

Painel Econômico
DANILO UCHA
Painel Econômico

Fonte : Jornal do Comércio

Compartilhe!