DANILO UCHA – O cenário da energia elétrica no Brasil

A energia hidrelétrica corresponde a 65% da matriz elétrica brasileira

A energia hidrelétrica corresponde a 65% da matriz elétrica brasileira

A geração de eletricidade, no Brasil, é uma das mais limpas do planeta. Do total da capacidade instalada, de 135 mil megawatts, apenas 26 mil correspondem à energia produzida por usinas de termeletricidade. Isto corresponde, portanto, a menos de 20% do total. A informação é do secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura, durante o 3º Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, concluído ontem pela Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu. A hidreletricidade, energia limpa e renovável, corresponde a 66% da matriz elétrica brasileira. E outras fontes limpas, como a eólica, estão em franco crescimento. Só para comparar, em 2008, a geração eólica era de apenas 247 MW. Em 2015, saltou para 5.833 MW, um crescimento de 2.261%. Outra fonte renovável que cresceu muito, nos últimos sete anos, foi a geração a partir da biomassa. No total, passou de 4.193 MW em 2008 para 12.415 MW em 2015, um aumento de 196%. Já a geração solar, que ainda tem um custo muito alto de implantação, começa a aparecer no sistema elétrico brasileiro. Não havia geração nenhuma em 2008, agora já aparece com 15 MW, claro que um percentual ainda insignificante, mas sinaliza uma possibilidade para o futuro. O Ministério de Minas e Energia prevê que, de 2015 a 2018, o Brasil irá contratar mais 31.500 MW de potência, dos quais quase 85% correspondem à geração de energias renováveis.

Frutas secas

A Uniagro, empresa gaúcha pioneira na importação e distribuição de frutas secas, traz mais novidades para o mercado. Nos próximos dias, estarão disponíveis nos pontos de venda da marca as novas embalagens de frutas secas, potes reaproveitáveis, em dois tamanhos, que, além de bonitos, facilitam a visualização do produto e reforçam a segurança necessária para os alimentos. "Estamos investindo em inovação e, cada vez mais, preocupados com a sustentabilidade do planeta. Por isso, criamos esse modelo exclusivo, que conta com lacre de segurança e que pode ser reaproveitado de diversas maneiras, inclusive podendo ser usado no micro-ondas e no freezer", esclarece o diretor Carlos Schneider.

Tempero verde

Congregar ao redor da mesma mesa os adeptos da comida natural, vegetariana, vegana, funcional, macrobiótica, alimentação viva e todas as linhas identificadas com uma vida saudável é a proposta do Festival Tempero Verde, que vai reunir esse público em Porto Alegre, no Stúdio Q, domingo, dia 25 de outubro. A partir das 11h, expositores, chefs, cozinheiros, nutricionistas, produtores e público apaixonado por alimentação natural terão degustações de produtos, palestras e oficinas. A ideia é valorizar a produção e o comércio local, o alimento artesanal e os pequenos produtores, explica a idealizadora do evento, Ivana Dalle Molle.

Prêmio Jacob Renner

O presidente da Fiergs, Heitor José Müller, do Grupo Vibra, foi indicado a concorrer ao Prêmio Empresário do Ano da Associação Comercial e Industrial de Montenegro e Pareci Novo. Os outros dois são Celso Orth, da Clínica Orth, e Otávio Guimarães Decusati, da Tanac. A decisão será em jantar, hoje à noite, na Sociedade Cultural Pareci Novo.

Olivicultura

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação vai realizar um Encontro Estadual de Olivicultura, dias 25 e 26 de novembro, no Complexo Cultural Dom Diogo de Souza, em Bagé. Haverá participação de técnicos da Emater-RS, Embrapa, Ufrgs e Ministério da Agricultura. Será uma boa oportunidade para divulgar um levantamento do plantio de oliveiras e da produção de azeitonas e azeites no Estado, pois os números conhecidos são contraditórios. Fala-se que mais de 30 municípios plantaram oliveiras, mas os dados de produção são escassos.

Painel Econômico
DANILO UCHA
Painel Econômico

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *