DANILO UCHA

Sonho da casa própria adiado novamente

GILMAR LUÍS/JC

Thales Stucky critica aumento do IOF

Thales Stucky critica aumento do IOF

O pessoal que sonha em ter sua casa própria e que, em 2014, se conteve, diante da elevação dos preços dos imóveis, na expectativa de que, em 2015, os preços se tornariam mais acessíveis, diante da saturação do mercado pelo excesso de lançamentos das construtoras, voltou a ver seu sonho postergado. O aumento das taxas de juros dificultará o acesso ao financiamento imobiliário. De acordo com a Associação de Consumidores Proteste, o cliente da Caixa Econômica Federal, principal agente de financiamento do setor, foi o mais prejudicado. A alta do Custo Efetivo Total foi maior para os imóveis financiados pelo Sistema de Financiamento Imobiliário, que envolve financiamentos com valores superiores a R$ 750 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, ou R$ 650 mil para os demais estados. Os juros aumentaram principalmente para quem é cliente do banco, ou seja, que tem qualquer tipo de relacionamento com a instituição financeira. Com as mudanças, aumento dos juros e também do IOF, é preciso, cada vez mais, analisar bem o negócio, examinar o custo mensal e o total antes de assinar o contrato.

Sonho adiado II
Tributaristas como Thales Stucky, ex-presidente do Instituto de Estudos Tributários, consideram a majoração da alíquota do IOF sobre as operações de crédito para pessoa física realmente perversa, pois alcança justamente aquela parcela da população que muitas vezes mais precisa do crédito para pagar contas, abrir um pequeno negócio, comprar casa própria. A alíquota dobrou, passando de 1,5% para 3%, razão pela qual esse custo adicional no valor do crédito também poderá impedir a realização de pequenos investimentos que movem parte significativa da economia. E a não correção do IR tirará mais dinheiro da pessoa física.

Imposto de Fronteira
O comércio, que esperava que o novo governador José Ivo Sartori (PMDB) fosse revogar o chamado Imposto de Fronteira no seu primeiro dia de governo ainda espera esta medida “prometida a entidades varejistas”, segundo Sadi Donazzolo, presidente do Sindilojas de Caxias do Sul e vice-presidente da Fecomércio-RS. Criado no governo de Yeda Crusius (PSDB), o Diferencial de Alíquota do ICMS eleva de 5% a 13% para os comerciantes os produtos importados que vêm de outros estados para o Rio Grande do Sul. “Quem é penalizado duramente é o pequeno varejo, tirando-lhe competitividade”, diz Donazzolo, que considera o setor terciário desrespeitado pelos governos, embora sua importância econômica e social, pois representa 48,4% do PIB do Estado. Uma curiosidade: o atual vice-governador, José Paulo Cairoli, então presidente da Federasul, e o secretário da Fazenda, deputado Giovani Feltes (PMDB), eram os maiores críticos do imposto no ano passado…

Confusão
Mais uma vez, autoridades federais do mesmo setor, o de energia elétrica, se confundiram e deram informações contraditórias sobre o apagão ocorrido segunda-feira em vários estados do País. O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse que “uma falha técnica no sistema” provocou a falta de luz. O Operador Nacional do Sistema, Hermes J. Chipp, responsável pelo funcionamento ou não do sistema elétrico, disse que “não houve falha técnica nem humana”. E cada um, à sua maneira, localizou em unidades diferentes a causa do problema. Ninguém entendeu nada. O ministro, mais uma vez, afastou a possibilidade de racionamento, mas a maioria dos reservatórios das hidrelétricas está com um nível de água menor do que o registrado em 2001, ano em que o País enfrentou um racionamento de energia. O boletim do Operador Nacional do Sistema informa que 18 (85%) dos 21 principais reservatórios enfrentam problemas com a estiagem.

Qualidade
Encerrará, dia 10 de fevereiro, o prazo de inscrição ao Prêmio Qualidade RS 2015. A promoção é do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. No site www.portalqualidade.com/pgqp/pqrs2015.

Aeroporto
Nesta discussão sobre ampliação ou não do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, ou construção de um novo, em Nova Santa Rita, já apareceu até quem acha melhor vender a área para a indústria da construção civil. Especialistas dizem que o hectare, ali, vale R$ 15 milhões. O aeroporto tem cerca de 400 hectares, o que daria uma boa grana para a União, dona do terreno: R$ 6 bilhões. Somadas as chamadas benfeitorias, mais R$ 1,9 bilhão. Seria o sonho imobiliário de muita gente.

Fröhlich
A Fröhlich, empresa gaúcha do setor alimentício, instalada em Ivoti, completou seis décadas de atividades, ontem, dia 21 de janeiro. A empresa fechou o ano de 2014 com crescimento de 8% nas vendas em relação a 2013.

Intercity
A rede Intercity de hotéis está comemorando 15 anos e lançou um espumante comemorativo. Foi produzido pela vinícola Don Giovanni, de Pinto Bandeira. Tipo brut, foi elaborado a partir de uvas Chardonnay e Pinot Noir.

Dunamis
A vinícola Dunamis, de Dom Pedrito, passou a vender seu vinhos de forma direta pelo e-commerce. Com a vantagem do frete grátis para todo o Brasil, em promoção exclusiva de verão até 21 de fevereiro.

O Dia

  • A Fundatec promove, às 8h30min, encontro sobre motivação da equipe, com Cláudia de Freitas Peruzzato, na rua Cristiano Fischer, 2.012.
  • A Vinícola Perini promoverá, hoje e amanhã, Convenção de Vendas anual, em Farroupilha, com palestras de enólogos, especialistas em vinhos e em vendas.
  • A Cooperativa Vinícola Garibaldi completará, hoje, 84 anos de existência.
  • A oficina de Aleitamento Materno, da Unimed Porto Alegre, mostrará, às 14h, na Casa Bem-Estar (rua Miguel Tostes, 823), cuidados com as mamas e com a ordenha do leite.
  • Realização do 17º Mercotexel, a maior feira de ovinos Texel, em Santana do Livramento, no Parque de Exposições, paralelo à V Feira Nacional Texel.
  • Às 11h, na Farsul, lançamento da XXXI Feovelha, de Pinheiro Machado.
  • Cerimônia de posse da diretoria do Sated/RS, às 17h, no Plenário Otávio Rocha, 2º andar da Câmara de Vereadores de Porto Alegre.
  • O sommelier Junior Maroso inaugurará, às 20h, o Haus Burger Bar, na rua Doutor Prudente de Moraes, 555.
  • Segunda edição de janeiro do Ora Felice, do Peppo Cucina, às 19h30min, na rua Dona Laura, 161.

Fonte: Jornal do Comércio

DANILO UCHA
ucha@jornaldocomercio.com.br
Painel Econômico

Coluna publicada em 22/01/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *