Crise no setor leiteiro será pauta em fórum do Parlasul

Os principais problemas enfrentados pela cadeia produtiva nos países do bloco serão debatidos no 1º Fórum do Leite do Parlasul (Parlamento do Mercosul), que acontece nesta terça-feira, em Montevidéu. O encontro, proposto pelo deputado Heitor Schuch (PSB-RS), vai reunir deputados, senadores e representantes de governos e entidades de Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai. "É preciso tomar posição frente ao acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, e também discutir a criação de cotas de importação, um assunto espinhoso, porém absolutamente urgente", afirma Schuch, lembrando que, pela primeira vez, em 28 anos, o assunto leite estará em debate nesse colegiado.

"Só isso já pode ser considerado um avanço importante." Na delegação brasileira estão confirmadas as presenças do vice-presidente da Fetag, Nestor Bonfanti; do coordenador-geral da Fetraf, Rui Alberto Valença; e do vice-presidente do Sindilat, Guilherme Portella dos Santos.

O deputado destaca que, apesar das inovações tecnológicas que vêm sendo implementadas em toda a cadeia do setor lácteo, em especial, nas propriedades rurais, a competitividade, seja no processo de produção ou na comercialização, é impactada por um conjunto de fatores que afetam de maneira desigual os países integrantes do bloco, com destaque para o tamanho da carga tributária incidente sobre os insumos e processos, questões de legislação ambientais, de infraestrutura e logística, e climáticas.

De acordo com levantamento feito pela Emater em quatro anos, o Rio Grande do Sul perdeu 33,53 mil produtores de leite. O número representa recuo de quase 40%. De 84,2 mil, em 2015, caiu para 50,66 mil em 2019.

Fonte: JC

Compartilhe!