Crescimento ameaçado

Todos os investimentos dos agricultores em tecnologias de última geração para aumentar a produtividade das lavouras correm o risco de se perder a partir do momento em que as safras deixam as propriedades.
As perdas começam nas deficiências de armazenagem adequada, ampliam-se no transporte feito por estradas mal conservadas, e se consolidam com a lentidão e o alto custo operacional da maioria dos portos brasileiros.
É impossível competir com outros grandes atores agrícolas mundiais nessas condições. A infraestrutura de logística do país não acompanhou a velocidade do aumento da produção agropecuária.
Até aqui, o agronegócio conseguiu compensar a precariedade logística com produtividades recorde.
Mas, se nada for feito, por governos de todos os níveis e iniciativa privada em parceria, chegará o momento em que, ironicamente, produzir mais será um contrassenso econômico. Por não se ter onde armazenar as safras nem como exportá-las.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | IRINEU GUARNIER FILHO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *