Cresce pressão por troca na Cotrijui

A semana será decisiva para o futuro da Cotrijui, que enfrenta uma grave crise financeira e política. O movimento ‘terceira via’, que pressiona pela destituição da diretoria, aguarda até a sexta-feira pelo posicionamento sobre o pedido de convocação de assembleia geral pelos atuais diretores. O documento, com 1.709 assinaturas de associados, foi recebido pela assessoria jurídica da Cotrijui na sexta-feira passada. Pelo estatuto da cooperativa, a convocação deve ocorrer em cinco dias úteis. Caso a diretoria não convoque a assembleia, os associados poderão tomar essa iniciativa. Representante da ‘terceira via’, Luiz Carlos Libardi, não acredita que a diretoria chamará a assembleia. O presidente da Cotrijui, Vanderlei Fragoso, disse que o parecer sobre o pedido será submetido ao Conselho de Administração. Fragoso apelou para que os dissidentes reconsiderem a solicitação. E disse que, ao se opor ao trabalho da diretoria, a oposição está se posicionando contrário aos interesses da própria cooperativa.

Apontado pela ‘terceira via’ como um nome forte para a transição numa eventual destituição, o presidente da Fecoagro, Rui Polidoro Pinto, prega cautela. Como associado, ele admite ter assinado a lista dos que defendem a convocação da assembleia. Mas ressalta: ‘o que os associados vão decidir é outra coisa’. Polidoro defende um esforço de entendimento entre os grupos. E, como outros dirigentes cooperativos, considera que a divisão, neste momento de fragilidade, é ainda mais prejudicial à Cotrijui. Ele lembra que no comando da Fecoagro tem o compromisso com a sustentabilidade do sistema cooperativista como um todo. E adiantou que amanhã, em Porto Alegre, haverá uma reunião para discutir a situação da Cotrijui e de outras cooperativas gaúchas em dificuldades.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!