Crédito presumido para o arroz fez indústria ter ganhos em outros estados e comprar 100% do produto gaúcho

Fonte: Daniel Cóssio / Assessoria de Comunicação da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio
Industriais relatam ao secretário Mainardi e ao presidente do Irga os ganhos que a cadeia teve com política do governo do Estado

Industriais relatam ao secretário Mainardi e ao presidente do Irga os ganhos que a cadeia teve com política do governo do Estado – Foto: Ben-Hur Corvello

A redução do ICMS de 12% para 7% no arroz a partir de maio deste ano fez com que indústrias como a Josapar, com sede em Pelotas, alcançassem mercados como os de Minas Gerais e São Paulo.

A informação foi dada nesta terça-feira (26) ao secretário estadual da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, em visita à empresa, pelo diretor de vendas e logística, Luis Augusto Krause. Além disso, a empresa passou a comprar 100% do produto dos campos gaúchos, não precisando mais trazer 15% de outras regiões do país, gerando mais renda para o produtor e empregos na cidade.

Por mês, eles beneficiam 36 mil toneladas de arroz com casca já industrializado. Em três unidades – Pelotas, Itaqui e Recife – são 400 mil toneladas por ano. Conforme Mainardi, no primeiro trimestre do ano a indústria ganhou R$ 21 milhões com o crédito presumido e o Estado arrecadou R$ 7 milhões. “Claro que é bom que o Estado arrecade, mas o que nos interessa são o crescimento, a geração de emprego e o produtor ter mais renda”.

Há dez anos, antes dos investimentos do Governo Federal no Porto de Rio Grande, a empresa levava de caminhão cargas de arroz até Recife, aumentando os custos de transporte e sobrecarregando as estradas, disse Krause.

Mainardi estava acompanhado do presidente do Instituto Riograndense do Arroz (Irga), Claudio Pereira, e do coordenador regional da Secretaria da Agricultura, Renê Oliveira.

Fonte: SEAPA Publicação 26/11/2013 às 18:35