Crédito Fundiário e Reforma Agrária em MT

Adhemar Almeida participa do Encontro Estadual de Reforma Agrária e Crédito Fundiário em Mato Grosso

Temas como segurança alimentar, recuperação dos projetos de Crédito Fundiário, sucessão rural e habitação rural permeiam os debates no Encontro Estadual de Reforma Agrária e Crédito Fundiário em Mato Grosso, realizado em Várzea Grande (MT), nesta terça (27) e quarta-feira (28).

“O que discutimos aqui é um projeto de Brasil, onde o rural passou a ter espaço e voz. Essa é nossa estratégia de desenvolvimento. Precisamos fazer a diferença, não só com acesso à terra, mas também com a produção de alimentos de qualidade, fortalecendo a agricultura familiar e mostrando ao país a importância desse setor para soberania e segurança alimentar”, afirmou o secretário de Reordenamento Agrário (SRA/MDA), Adhemar Almeida.

Para o presidente do Sindicato de Trabalhadores Rurais (STTR) de Lucas do Rio Verde (MT) e beneficiário do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), Claudiomir Boff, o encontro é muito produtivo, pois além de sanar dúvidas, permite conhecer a realidade do Programa no estado e, ao mesmo tempo, mostrar que é possível viabilizar projetos bem-sucedidos de crédito fundiário. “Precisamos assumir compromissos, ser transparentes nos objetivos, bem como buscar parcerias com o Estado e municípios para melhorar a qualidade dos projetos de Crédito Fundiário”, completou.

Promovido pela Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), em parceria com o MDA e apoio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso (Fetagri), o encontro reúne lideranças de 43 Sindicatos de Trabalhadores Rurais (STTR), dirigentes sindicais, além de representantes do MDA e do Banco do Brasil, para discutir temas relevantes para a consolidação da agricultura familiar em Mato Grosso.

Parceria

Previstos no convênio firmado entre a Contag e o MDA, por meio da SRA, os encontros visam a avaliação de resultados e a proposição de estratégias que promovam o desenvolvimento sustentável e o combate à pobreza na agricultura familiar. Com Mato Grosso, 13 unidades da federação (AL, CE, ES, DF, MG, MS, PB, PE, RJ, RN, RO, SE e SP) já realizaram seus encontros estaduais.

O secretário de Política Agrária da Contag, Zenildo Xavier, destacou o papel do movimento social na cobrança, ao Estado, por soluções que atendam as demandas e necessidades dos agricultores mato-grossenses. “ Sabemos que os diagnósticos feitos estão corretos, mas é preciso propor soluções que viabilizem o passivo e permitam o benefício do acesso à terra a novos agricultores”, disse o secretário.

Fonte : MDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *