Crédito facilitado para compra de equipamentos agrícolas é destaque na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP)

Bancos reúnem equipes especializadas durante a feira no interior paulista

Ver Descrição

Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

O crédito facilitado para compra de máquinas e equipamentos agrícolas é um dos destaques da Agrishow, feira realizada em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Os bancos reúnem uma equipe especializada no atendimento e condições pra atrair os clientes.
Com reforço na equipe de atendimento, o Banco do Brasil espera fechar na edição de 2012 pelo menos R$ 600 milhões em propostas de financiamento. Em recursos, o banco tem o dobro disso se for preciso.
Três bancos instalaram agências na Agrishow 2012. Para o superintendente de Agronegócios do Santander, Walmir Segatto, o importante não é o volume de negócios que são fechados na feira, e sim a qualidade. Metade das propostas de financiamentos apresentadas nos dias da Agrishow  foram estudadas antes, de acordo com o perfil dos produtores. Uma equipe de profissionais do banco fez uma avaliação dos clientes em grandes regiões produtoras, como São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e na feira os contratos são encaminhados. Segatto acredita que o número de contratos atinja 900, 15% a mais que em 2011.
O produtor de cana-de-açúcar Roberto Cestari vai precisar de R$ 200 mil para comprar duas carretas de transbordo. Ele foi até a agência do Banco do Brasil montado na Agrishow. Se a proposta for aprovada ele terá o crédito pela linha do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ele vai pagar o financiamento em 10 anos, com juros de 5,5% ao ano.
Em geral, as linhas de crédito oferecem recursos de acordo com o perfil do produtor.
As mais comuns são as disponibilizadas pelo BNDES, como o PSI. O governo também disponibiliza pelos bancos uma linha do Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). Neste caso, o produtor precisa apresentar um projeto que certifica a intenção de preservar. O juro para financiamento no ABC também é de 5,5%. Em São Paulo, outros dois programas de governo têm atraído o produtor: o Pró-Trator e o Pró-Implementos. Se o produtor for adimplente, só paga o capital.
A facilidade na contratação do crédito passou a ser uma ferramenta tão valiosa quanto o recurso. Muita gente depende de financiamento. Esta opção representa, no mínimo, a metade dos negócios feitos na Agrishow.

Fonte: Ruralbr | Sebastião Garcia | Ribeirão Preto (SP) CANAL RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *