Crédito e bom momento incentivam produtor gaúcho a investir em máquinas e implementos

Setor espera faturar R$ 2,5 bilhões em negócios durante os nove dias da Expointer 2013

Crédito e bom momento incentivam produtor gaúcho a investir em máquinas e implementos DIOGO ZANATTA/Especial

Opção tem sido por equipamentos maiores e com mais recursos tecnológicos Foto: DIOGO ZANATTA / Especial

É com certa surpresa, otimismo e investimento que concessionárias têm assimilado o comportamento do produtor neste ano. Motivado por crédito facilitado e pelo bom momento no campo alta produção e preços atrativos graças ao frustrante desempenho norte-americano em grãos , o agricultor gaúcho renova a frota, busca tecnologia de ponta e aquece as vendas do setor de máquinas e implementos.

– Esperávamos que a colheitadeira 9230 fosse atrair mais o Centro-Oeste, mas já vendemos três aqui antes de chegarem, o que está previsto para outubro – diz Claiton Bervian, da Meta Agrícola.

A preferência tem sido pela qualidade.

– O produtor tem optado por máquinas maiores e em menor número. Quem não tem área para expandir busca tecnologia para elevar a produtividade – diz.

A Meta foi a que mais vendeu tratores Case IH no país em 2012. Embora os menores ainda liderem a procura, Bervian observa uma busca maior por tratores de 340 cv, assim como as plantadeiras de 34 linhas. O desempenho comercial no primeiro semestre foi 20% superior ao do mesmo período do ano passado – muito em função, também, da abertura de novas filiais. Com matriz em Passo Fundo, a revenda vai finalizar 2013 com quatro novas lojas, totalizando sete.

A Samaq, de Santa Cruz do Sul, chega aos 45 anos este mês comemorando: as vendas de janeiro a julho foram 23% superiores ao primeiro semestre de 2012. A projeção é fechar o ano com alta de 35%. A revenda é uma das que mais entregaram Massey Ferguson no Estado nos últimos meses.

– Prevíamos algo entre 10% e 15%, não mais do que isso – conta, surpreso, Carlos Esau, diretor-geral.

Para vencer a seca

O interesse do produtor motivou a instalação de uma loja em Sobradinho, em construção no momento, que se somará às filiais de Rio Pardo e Estrela.

– O produtor tradicional está renovando a frota, e cerca de 15% a 20% do nosso mercado procura máquinas de porte para plantar em áreas maiores devido aos bons preços dos grãos. Devemos triplicar a venda de tratores grandes, acima de 110 cv – afirma Esau.

Além de potência, o agricultor quer tecnologia para driblar restrições climáticas, como a seca, ou de espaço. A procura por pulverizadores de ponta impressiona Vilmar Zanotto, à frente da Tritec, de São Gabriel. A concessionária é destaque comercial da Valtra no Estado e projeta alta de vendas de 15% em 2013.

– A agricultura de precisão é uma tendência que se acelerou este ano. Com as linhas de crédito, o produtor antecipa suas necessidades. Mais de 90% das nossas vendas são por financiamento – observa Zanotto.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *