Crédito ao produtor bate R$ 103 bilhões em 6 meses

A tomada de crédito por agricultores empresariais e familiares bateu recorde nos primeiros seis meses da safra 2013/14 e chegou a R$ 103 bilhões contratados, 66% do total de R$ 157 bilhões previstos para a safra 2013/14. O resultado é 47,8% maior que o de igual período de 2012, quando foram contratados R$ 70,2 bilhões, segundo dados da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura.

A agricultura empresarial contratou R$ 91 bilhões – 67,1% dos R$ 136 bilhões previstos para esse segmento em 2013/14. O montante é 50,8% maior que o registrado em igual período de 2012. Já a agricultura familiar contratou R$ 12,5 bilhões de julho a dezembro passado, alta de 29% sobre igual período do ciclo anterior. O montante equivale a 59,8% do total disponível para toda a safra.

Os empréstimos para custeio e comercialização chegaram a R$ 67,6 bilhões, 69,3% dos R$ 97,6 bilhões programados. Em relação ao investimento, as contratações chegaram a R$ 23,5 bilhões, 61,3 % dos R$ 38,4 bilhões previstos. As contratações de crédito para financiamento nos primeiros seis meses da safra atual subiram 67% sobre ciclo anterior.

O principal programa anunciado no plano safra 2013/14, o Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), já emprestou 49% dos R$ 3,5 bilhões previstos pelo ministério. O valor anunciado pela presidente Dilma Rousseff, porém, foi de R$ 5 bilhões por ano em cinco anos.

No caso do Programa de Sustentação do Investimento (PSI-BK), os empréstimos para aquisição de máquinas agrícolas, equipamentos de irrigação e estruturas de armazenagem somaram R$ 6,9 bilhões de julho a dezembro. O resultado é 47,2% superior ao do mesmo período de 2012 e equivale a 99% dos recursos disponibilizado para a finalidade.

No Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) as operações de custeio atingiram R$ 6,09 bilhões, enquanto as de investimento somaram R$ 3,26 bilhões.

Fonte : Valor Econômico | Por Tarso Veloso | De Brasília