Contexto – Por Kauanna Navarro

Se por um lado a expectativa de aumento da demanda por diesel no país e os previstos incrementos dos percentuais de mistura do biodiesel no combustível fóssil são fatores que geram otimismo entre produtores do biocombustível, por outro os avanços projetados podem até esbarrar em problemas. A prevista ampliação das exportações de soja em grão, já uma tônica na última década, pode significar, no futuro, escassez de óleo de soja no mercado. E, caso o processamento da matéria-prima aumente no país para atender à demanda por óleo, é possível que sobre farelo, o que também "desbalancearia" a indústria. Para a Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio), esses problemas poderão ser eventualmente resolvidos por algum tipo de incentivo, ainda que, na avaliação da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), não deverá faltar mercado para o farelo de soja excedente. De acordo com a entidade, existe um mercado internacional de farelo enorme para a produção de aves e suínos e cabe ao Brasil explorar melhor essas oportunidades, inclusive na China.

Fonte : Valor

Compartilhe!