CONTAGEM REGRESSIVA | Clima e preço estimulam vendas durante Expointer

Com aposta nos equipamentos de irrigação, feira projeta resultados ao menos iguais aos de 2011

Com a chegada dos primeiros animais, a partir de hoje, a 35ª Expointer começa a ganhar forma em Esteio.
O governo do Estado promete facilitar a compra de equipamentos de irrigação– grande aposta desta edição – encaminhando, ainda na feira, o licenciamento ambiental.
As empresas apostam em uma grande procura por equipamentos de irrigação. Mas os produtores avaliam que é necessário eliminar a barreira burocrática criada para a concessão do licenciamento.
– Apesar de o governo ter um bom programa, o licenciamento ainda é um problema – avalia o vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS), Carlos Joel da Silva.
Para esclarecer dúvidas, a Secretaria da Agricultura estará com um estande na área de irrigação. O objetivo é fazer com que os agricultores que comprarem equipamentos na feira saiam com o licenciamento encaminhado.
– Acredito que as vendas ocorram ainda durante a Expointer, porque se o produtor não sair com o licenciamento, terá ao menos orientações sobre como proceder – afirma o presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Estado (Simers), Claudio Bier.
Principal puxador de vendas, o setor de máquinas estima ao menos repetir o resultado de R$ 834,7 milhões do ano passado. Mais ousado, o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, aposta em uma comercialização ainda maior.
– A feira é um grande evento para o produtor, que não vai se intimidar e buscará tecnologias para um novo passo – argumenta Mainardi.
O otimismo se deve à alta dos preços agrícolas e à perspectiva climática favorável para a próxima safra.
– Teremos um ano bom. Mas é necessário cautela, fazer investimentos e programá-los. Não é momento de aventuras – alerta o diretor financeiro da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Jorge Rodrigues.

Equipamentos para irrigação estarão expostos em área de destaque

  • Os números de 2011

    Expectativa para a edição de 2012 é pelo menos manter os resultados:
    – Visitantes: 483,39 mil pessoas
    COMERCIALIZAÇÃO:
    – Animais: R$ 11,72 milhões
    – Artesanato: R$ 1,25 milhão
    – Agricultura familiar: R$ 1,05 milhão
    – Máquinas e implementos agrícolas: R$ 834,7 milhões

Fonte: Zero Hora | NESTOR TIPA JÚNIOR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *