Contac exige saída do BNDES da LBR

Frente à crise da LBR, a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação (Contac) irá solicitar que o governo reveja a atuação do BNDESPar, o braço do banco público para participação em empresas. A gigante do setor lácteo, que está em processo de recuperação judicial, foi criada em 2010 a partir da fusão da Bom Gosto e LeitBom, com aporte de R$ 700 milhões do BNDES. Segundo o presidente da Contac, Siderlei de Oliveira, num primeiro momento, 500 trabalhadores devem ser demitidos no país, além de três das 15 unidades fechadas, uma delas no município gaúcho de Gaurama. ‘Estamos tratando da maior indústria de lacticínios, que chegou a esse tamanho com dinheiro público. O BNDES, que tem 30% de capital, poderia ter evitado essa situação fiscalizando a administração de verbas.’ Procurado, o BNDES não quis comentar o assunto.

Ontem, a Contac esteve reunida com a direção da empresa, em São Paulo, e recusou a proposta de parcelamento das rescisões trabalhistas. A empresa queria que apenas o FGTS e a multa de 40% fossem pagos no ato e o restante, em três vezes. A entidade estuda ingressar com ação na Justiça para garantir os direitos dos funcionários. A próxima reunião deve ocorrer no Estado, mas ainda não há data nem local definido.

Fetag e Sindilat também debateram a crise, ontem, na Capital. Conforme o presidente da Fetag, Elton Weber, não deve haver prejuízo para os cerca de 10 mil produtores gaúchos que fornecem leite para a LBR. Contudo, disse que a orientação é para que as regionais fiquem atentas. Conforme o Sindilat, a empresa está entre as três maiores e responde por 25% da captação do Estado.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *