Consultoria corta previsão para safra de soja

O tempo seco em importantes regiões produtoras levou a consultoria Agroconsult a revisar para baixo sua previsão para a safra 2014/15 de soja no Brasil, que está em início de colheita. A nova estimativa, divulgada ontem, aponta para uma produção de 93,93 milhões de toneladas, aquém das 94,7 milhões indicadas no mês passado. Se confirmado, o volume será 9% superior ao de 2013/14.

De acordo com André Pessôa, sócio-diretor da Agroconsult, uma das maiores preocupações é com o oeste da Bahia, que enfrenta problemas com a baixa umidade pelo quarto ano seguido. "Na primeira quinzena de janeiro, choveu apenas 9 milímetros (mm) na região de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães. As lavouras vinham bem, mas requerem mais umidade", observou o analista, em encontro com jornalistas.

A estiagem preocupa também no sul do Piauí e no noroeste de Minas Gerais. Para o sul do Maranhão, as previsões são mais otimistas até o fim do mês. "Mas a maior parte das lavouras da região já está com déficit hídrico há mais de 15 dias, o suficiente para causar estragos. A partir de 20 dias, as perdas crescem em taxas geométricas, para quase um saco por dia", afirmou Pessôa.

Entretanto, os campos de soja do Sul do país apresentam boas condições e devem contribuir para evitar perdas mais severas na colheita total, na avaliação da Agroconsult. Em Mato Grosso, maior produtor nacional da oleaginosa, a consultoria também não está computando perdas, ao menos por ora, apesar das chuvas abaixo da média. "Lá costuma chover muito, e mesmo chovendo menos, ainda está no limite mínimo necessário para o bom desenvolvimento das lavouras", disse Pessôa.

Para o milho, a Agroconsult estima uma colheita de 29,96 milhões de toneladas na primeira safra 2014/15, recuo de 5% ante o ciclo anterior – basicamente em função da redução de área. Quanto à segunda safra (safrinha) do grão, que será plantada na sequência da colheita de soja, a expectativa é de uma produção de 50,02 milhões de toneladas no país, incremento de 4% na mesma comparação.

Pessôa avalia que o atraso inicial no plantio da soja (entre o fim de setembro e início de outubro de 2014) não deve gerar grandes obstáculos à semeadura do milho safrinha, como se cogitava. "O mercado de milho também melhorou significativamente de lá para cá, influenciado pela taxa de câmbio".

Nos cálculos da Agroconsult, a safra 2014/15 de grãos brasileira totalizará 200,18 milhões de toneladas, aumento de 4,5% em relação ao ciclo anterior. "Mas o viés é de baixa. Se as condições climáticas não se normalizarem, bateremos na trave [das 200 milhões de toneladas] de novo", concluiu. A Agroconsult atualizará suas projeções a partir de dados de campo que coletará no Rally da Safra, expedição técnica anual promovida pela consultoria, que começará sua 12ª edição no fim de janeiro.

Fonte: Valor | Por Mariana Caetano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *