Conselho impede conciliação em cartórios paulistas

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) suspendeu a entrada em vigor da norma paulista que permite que os cartórios do Estado realizem mediações e conciliações. Com a decisão, os conselheiros confirmaram uma liminar concedida no fim de agosto pela relatora do caso, a conselheira Gisela Gondin Ramos

A decisão foi proferida na sessão de terça-feira, após a análise de um pedido de providências proposto pela seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP). No processo, a entidade pede a revogação do Provimento nº 17, publicado no dia 6 de junho pela Corregedoria-Geral de Justiça do Estado de São Paulo, que, de acordo com a OAB-SP, vem sendo copiado por outros tribunais do país.

Para a seccional paulista, a alteração das atribuições dos cartórios só poderia ser realizada por meio de uma lei federal, e não por um provimento. A entidade questiona ainda o fato de a norma da corregedoria-geral não prever como obrigatória a presença de um advogado durante os processos de mediação e conciliação.

Os argumentos foram aceitos pela conselheira Gisela Gondin Ramos. Para ela, a norma paulista invade a competência da União Federal, criando um "mecanismo paralelo – e privado – de resolução de conflitos".

Anteriormente, o pedido de liminar da OAB-SP havia sido negado, no dia 17 de junho, pelo então conselheiro Jorge Hélio Chaves de Oliveira, que foi substituído pela conselheira Gisela. Para Chaves, não foi comprovado no processo que a demora para a concessão do pedido da entidade poderia prejudicar a população. (BM)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/legislacao/3267368/conselho-impede-conciliacao-em-cartorios-paulistas#ixzz2egMecX00

Fonte: Valor | Por De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *