Congresso em Mato Grosso discute ações para combater queimadas

Um dos principais temas debatidos foi o uso da aviação para extinguir incêndios

Leandro Ineu/ Jornal do Garcia Online

Foto: Leandro Ineu/ Jornal do Garcia Online / Divulgação

Desastres ecológicos levantaram a discussão sobre combate ao fogo

O primeiro dia do Congresso de Aviação Agrícola, que acontece em Mato Grosso, teve como um dos principais temas discutidos as queimadas em áreas de preservação. Com expositores do Brasil e do exterior, a feira abriu as portas para o público conhecer as tendências do mercado.

Pelo menos 42 expositores do Brasil e do exterior participam do evento, que é a segunda maior feira do setor. As principais demandas também são discutidas em fóruns e palestras. O uso da aviação para combate a queimadas não é propriamente uma novidade, mas passa a ter maior importância com desastres ecológicos em áreas de preservação ambiental.

O combate à incêndio ganhou destaque no setor depois da grande queimada na reserva ecológica do Taim em março deste ano. Houve demora no combate às chamas porque os avições tiveram que vir da Bahia.

A base aérea mais próximas seria no Paraná, mas não existem empresas credenciadas no Instituto Chico Mendes, ONG que coordena as ações de combate a incêndios em zonas de preservação federal. Por outro lado, o Rio Grande do Sul, que tem a maior frota de aviões agrícolas do sul, não teve como auxiliar, já que o trabalho é realizado somente por empresas contratadas através de licitação.

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola (Sindag), Nelson Paim, pede alterações no atual sistema:

– A gente pede mudanças na regra. Estamos vendo que quanto mais perto a base estiver do foco de incêndio, melhor é para vencer as chamas.

O coordenador de emergências ambientais do Instituto diz que a ONG está preocupada com necessidades semelhantes em outras regiões do país. Hoje, existem quatro bases aéreas para atender todo o país. Hoje, existem quatro bases aéreas para atender a todo o país em caso de incêndio florestal: em Lençóis, na Bahia; Mateiros, em Tocantins; Foz do Iguaçu, que está desativada; e em Cuiabá, em Mato Grosso. 

Minas Gerais é o Estado melhor estruturado para combater incêndios com o uso da aviação. São 16 aeronaves, distribuídas forma estratégica entre bases central e sub-bases. A força tarefa Previncêndio é a primeira da América Latina e é coordenado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

O instrutor de formação de Brigada, Jarbas de Alcântara, lembra que o caso de Minas Gerais é uma referência, já que se priorizou a redução de focos de incêndio desde 2010. Ele, que também é técnico ambiental, defende o uso racional do fogo no campo para que produtores e moradores de áreas rurais não coloquem em risco o meio ambiente e as áreas de agricultura e pastagens. 

– A gente precisa do fogo, tem que usar, mas que seja dentro das normas. Tem que saber usar o fogo para que não saia do controle.

CANAL RURAL | EDUARDO SILVA

Fonte: Ruralbr

Um comentário em “Congresso em Mato Grosso discute ações para combater queimadas

  1. Acessem no Google. Queimadas no Brasil: Causa real nas rodovias.
    Ou acessem o link abaixo e vejam no dia 09 de maio de 2013 no programa ”NA ESTRADA” da Rádio Band- SP, no segundo bloco aos 06 minutos, minha entrevista, sobre­: Queimadas no Brasil: Causa real nas rodovias.
    Envio tb outro link da cartilha do DNIT da BR050, citando a referencia sobre a causa de queimadas indicada por mim.(Escapamentos de veículos pesado movido a diesel).

    http://radiobandeirantes.band.uol.com.br/conteudo.asp?PDT=65

    http://br050.com.br/pdf/cartilha.pdf

    Edmar. Itabira. MG – 31-97224529

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *