Conab terá mais baixas

Fonte: JORNAL DE BRASILIA – DF

Presidente determina afastamento de aparentados políticos

A COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB) passará pela mesma "faxina" do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), determinou a presidente Dilma Rousseff.

Significa que, do presidente da estatal aos assessores aparentados de políticos, todos serão afastados.

Há ainda um agravante em desfavor da CONAB. Lá, o loteamento entre os partidos foi maior do que no Dnit. Toda a CONAB foi dividida entre o PTB – que não tem um ministério, mas se contentou com a presidência da estatal, que está presente em todo o Brasil e tem orçamento de R$ 2,8 bilhões -, o PMDB e o PT O Dnit havia sido loteado apenas entre o PR e o PT.

O primeiro a ser demitido foi Oscar Jucá Neto, que ocupava a diretoria financeira da CONAB. Jucá, que é irmão do líder do Governo no Senado, Romero Jucá (RR), determinou o pagamento de R$ 8 milhões a uma empresa de silos de Goiás, mas a verba era destinada à compra de alimentos. Em represália pela demissão determinada pelo ministro da Agricultura, ele acusou Wagner Rossi de corrupção.

Rossi respondeu que as denúncias eram uma vingança.

Na segunda-feira, a Controladoria- Geral da União (CGU) apreendeu computadores da Agricultura, para estudar os arquivos de convênios e contratos. O ministro da CGU, Jorge Hage, afirmou que nenhum computador de Rossi está na lista dos apreendidos porque, segundo ele, não há suspeita contra o ministro. A presidente Dilma Rousseff defendeu Rossi por dois dias seguidos e determinou a faxina na CONAB. De qualquer maneira, o ministro vai depor hoje no Senado.

TÉCNICOS ENTRAM

De acordo com informação de assessores da presidente Dilma Rousseff, todos os partidos já foram informados de que seus afilhados serão substituídos por técnicos. Na segunda-feira, a presidente conversou com o ministro da Agricultura.

"Quero técnicos no lugar dos diretores", cobrou Dilma. "Para a Diretoria Jurídica você pode recorrer à Advocacia-Geral da União (AGU)", aconselhou ela. A própria presidente avisou ao advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que ele teria de ceder alguém para a CONAB.

O ex-deputado Marcelo Melo, diretor de Operações da CONAB, indicado pelo ex-governador goiano Iris Rezende (PMDB), é outro que deverá perder o cargo, assim como o diretor de Administração, Rogério Abdala, ligado ao ministro Wagner Rossi, e o diretor de Política Agrícola, Silvio Porto, este um nome do PT.

Também devem ser afastados nos próximos dias, Rodrigo Calheiros, filho do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), Adriano Quércia, neto do ex-governador Orestes Quércia, , Matheus Benevides, neto do deputado Mauro Benevides (PMDB-CE) e Mônica Infante Azambuja, ex-mulher do líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN).

___________

SAIBA +

A limpeza na CONAB ocorre quatro meses depois da posse de EVANGEVALDO MOREIRA DOS SANTOS na presidência da estatal.

Afilhado do líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), Evangevaldo deverá ser um dos primeiros a cair, informou um auxiliar da presidente.

No Ministério da Agricultura, ele é considerado sem o domínio dos meandros da CONAB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *