Conab estima que MS deve deixar de produzir 500 mil toneladas de milho

Fonte: G1

O clima quente da última semana ajudou os produtores a retomarem a colheita de milho. As perdas por causa das mudanças climáticas foram anunciadas pela COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO, mas os especialistas tranquilizam os agricultores: o preço está ajudando. Na propriedade de Nerci Decian, as máquinas entraram no campo esta semana. Por causa da chuva no início do mês, o proprietário esperava diminuir a umidade nos GRÃOS para colher com melhor qualidade. Em 450 hectares, os GRÃOS não suportaram o frio e pouco se desenvolveram. Já em outra área, de 400 hectares, o cultivo foi feito no final de fevereiro e o milho está bonito e no ponto de colheita. "O milho que plantamos antes está dando 70 sacas por hectare. O milho que a geada pegou, não tem como colher porque nem a indústria recebe. Vou esperar secar, tentar colher e jogar para o gado", diz Decian. Dados da CONAB mostraram que nesta safra a produtividade do milho está menor – passou de 60 para 51 sacas por hectare. Mato Grosso do Sul deve deixar de produzir 500 mil toneladas de milho, apesar do aumento de quase 12% na área plantada. Em todo o estado, o prejuízo calculado para a safra 2010/2011 deve ser de R$ 146 milhões. Apesar disso, o momento ainda é favorável ao produtor, principalmente pelo preço pago por saca de milho que está variando de R$ 18 a 21. Preço bem melhor que o praticado na safra passada, que ficou em média R$ 12 – explica o engenheiro agrônomo Roney Pedroso, da Fundação MS. Grande parte dos produtores deve conseguir pagar as despesas com a produção. "O cenário é positivo. Dificilmente haverá redução significativa no preço do milho a curto prazo", comenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *