Conab amplia impacto da seca na safra

Realizado entre 16 e 20 de janeiro, o quinto levantamento da safra nacional de grãos 2011/12, divulgado, ontem, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), confirma o avanço dos estragos da estiagem sobre as áreas agrícolas gaúchas, o que reduzirá a produção brasileira. A estimativa para o país é de 157 milhões de toneladas, o que significa uma redução de 3,5% da produção na comparação com o ciclo anterior e de 0,88% em relação à quarta pesquisa, realizada no mês passado.
No Rio Grande do Sul, a projeção de quebra da produção em relação à safra anterior evoluiu de 10,8% para 24,4%. Com isso, a safra gaúcha não passaria neste momento de 21,77 milhões de toneladas. A queda mais significativa ocorreu no milho: de 44,80%. De acordo com o superintendente regional da Conab, Glauto Lisboa Melo Junior, o decréscimo é puxado ainda pela soja e pelo arroz, cujos percentuais de recuo estão previstos em 28,9% e 20,9%, respectivamente.
O próximo estudo deve trazer números consolidados para arroz e soja, culturas que podem ainda apresentar mudança de panorama em função das chuvas recentes no Estado. O próximo levantamento da Conab será divulgado em março.
Já a Emater prevê revisar os números relativos à safra 2011/2012 daqui a duas semanas. A expectativa é que este levantamento traga possíveis efeitos das chuvas recentes sobre a produção. Na última pesquisa realizada, feita praticamente no mesmo período que a anunciada ontem pela Conab – de 16 a 25 de janeiro -, as lavouras de milho registram redução de 41,89% na produção em relação à estimativa inicial da empresa. Na soja, a quebra era de 22,33%; no arroz, de 6,62% e, no feijão 1 safra, de 6,47%.
Apesar da queda na produção nacional, a área plantada no país é maior, devendo ficar em 50,6 milhões de hectares, o que representa crescimento de 3,3% em relação aos 49,9 milhões de hectares do último ciclo.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *