COMÉRCIO EXTERIOR – Exportações de soja têm melhor maio da história

Volume do grão vendido ao exterior atingiu recorde pelo terceiro mês consecutivo comparado com o mesmo período do ano passado

ANDRE RODRIGUES/ANDRE RODRIGUESSoja vendida no exterior em março de 2016 movimentou cerca de US$ 3,60 bilhões (US$ 363,1 por tonelada). | ANDRE RODRIGUES/ANDRE RODRIGUES

Soja vendida no exterior em março de 2016 movimentou cerca de US$ 3,60 bilhões (US$ 363,1 por tonelada).

As exportações de soja bateram recorde e fizeram do último mês o melhor maio da história para o setor. Foram 9,91 milhões de toneladas, ante 9,3 milhões de toneladas exportadas no mesmo mês de 2015. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), divulgados nesta quarta-feira (1º).

Conforme o MDIC, a soja vendida no exterior em março de 2016 movimentou cerca de US$ 3,60 bilhões (US$ 363,1 por tonelada). Apesar de o volume comercializado ter sido maior em 2016, o valor comercializado neste ano foi menor do que no mesmo período do ano passado. Na época, os preços estavam melhores (US$ 386,8 por tonelada). Em maio de 2015, foram movimentados US$ 3,61 bilhões.

Veja também

Na comparação entre o volume de soja exportado em maio e em abril, houve queda de 5,1%. Em abril de 2015, houve a exportação de 9,91 milhões de toneladas, enquanto que em abril deste ano foram 10,08 milhões de toneladas.

Agropecuária evita queda maior do PIB do PR no primeiro trimestre

Enquanto PIB geral do estado caiu 5,4% de janeiro a março, agropecuária teve redução de 2,4%, aponta Ipardes

Leia a matéria completa

Maio foi o terceiro mês seguido de recorde na comparação mês/mês do ano anterior. Em março, o Brasil enviou para o exterior 8,3 milhões de toneladas (ante 5,5 milhões de toneladas em março de 2015). Em abril, o país embarcou para fora 10,08 milhões de toneladas (ante 6,55 milhões de toneladas em 2015).

Os recordes atrás de recordes, no entanto, devem perder fôlego nos próximos meses. A previsão do mercado é que o país ainda tenha em estoque menos de 30 milhões de toneladas de soja e a nova safra começa a entrar apenas no fim de ano. A expectativa do setor é que os embarques do grão registrem uma queda de 20% em junho comparado ao mesmo mês do ano passado, e fique em torno de 5 milhões de toneladas.

Superavit comercial bate recorde em maio

O dólar em alta e a atividade econômica em baixa continuam a impulsionar o saldo da balança comercial. Em maio, a diferença entre exportações e importações levou a um superavit de US$ 6,4 bilhões, o mais alto para o período desde o início da série histórica, em 1989.

Preço da soja atinge recorde e supera R$ 90 no Paraná

Escalada do dólar e cotações altistas na Bolsa de Chicago impulsionam preços no mercado interno brasileiro

Leia a matéria completa

Segundo a Secex (Secretaria de Comércio Exterior), o recorde anterior para esse mês fora registrado em 2008, quando o saldo havia alcançado US$ 4,6 bilhões.

Após cinco meses consecutivos de resultados positivos, o superavit do ano está US$ 19,7 bilhões –valor semelhante ao desempenho de todo o ano passado.

Embora seja um dos principais fatores do crescimento do saldo, o câmbio ainda não foi capaz de aumentar a receita das exportações.

Devido à queda de 8,8% do preço médio dos produtos brasileiros, o valor das exportações em dólar caiu 2,6%. A redução só não é maior porque o volume enviado ao exterior cresceu 9,4% no ano.

Fonte : Gazeta do Povo