Comitiva vai ao Japão negociar suíno

Uma comitiva integrada pelo presidente da Abipecs, Rui Vargas, representantes do Sindicarne de SC, do governo catarinense e do setor privado, embarcou ontem para Tóquio. A abertura do Japão à carne suína catarinense, oficializada em 30 de maio, é a pauta dos encontros agendados. A conquista deve-se ao fato de o estado ser livre de aftosa sem vacinação, estágio ainda não alcançado pelo RS.

Na quinta-feira, o grupo terá uma reunião com a embaixada brasileira em Tóquio para discutir todos os aspectos que envolvem o potencial de Santa Catarina para cumprir as exportações. ‘Esperamos que após a apresentação do estado possa se conversar sobre futuros negócios’, afirma Vargas. Por ser o Japão o maior importador mundial de carne suína, a comitiva espera que o mercado sirva de alavanca para negociar junto à Coreia do Sul, o segundo principal importador. O Japão importa 1,2 milhão de toneladas anuais de carne suína, enquanto a Coreia do Sul compra aproximadamente 700 mil toneladas/ano.

Enquanto os vizinhos catarinenses negociam no Oriente, os exportadores de suínos gaúchos seguem com impasse para remeter cortes à Argentina. Segundo o diretor-executivo do Sips, Rogério Kerber, apesar dos anúncios sobre a retomada do mercado, a situação continua a mesma desde fevereiro do ano passado, quando o país estabeleceu restrições para autorizar importações. ‘Um protesto a mais ou um a menos não vai alterar o cenário’, afirma referindo-se à greve do país para comercialização de carnes e grãos. Atualmente, o RS exporta de 15% a 20% do volume comercializado à Argentina.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *