Comitê de crise acompanhará frigoríficos

Grupo manterá atualizadas as informações sobre casos de coronavírus nas empresas do setor
Devido aos crescentes casos suspeitos e confirmados de Covid- 19 relacionados a funcionários de frigoríficos (como os 48 contaminados na unidade da JBS em Passo Fundo), foi formado nesta terça-feira (28) um comitê de crise para o setor frigorífico, reunindo representantes de empresas, trabalhadores e o poder público.O grupo deverá atualizar constantemente os casos no segmento, avaliando o avanço da situação para determinar mudanças nas ações implementadas para combater a pandemia.

“Pelo relato dos empregadores e trabalhadores está sendo feito um grande esforço do setor para seguir recomendações de saúde”, afirma Mauro Müller, chefe da seção de segurança e saúde no trabalho da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) no Estado.

Segundo Müller, foi enfatizado que as empresas devem ter protocolos de acompanhamento dos trabalhadores, avaliando quem tem sintomas e é suspeito de ter contraído o novo coronavírus, afastando os funcionários quando necessário.

“É preciso ter ações ágeis e preventivas para manter o controle da situação”, explica.

Paulo Madeira, presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Rio Grande do Sul (FTIA-RS), considerou positiva a orientação de que sejam passadas informações sobre contágios no setor em tempo. “A situação é preocupante. Só na empresa Minuano mais de 700 funcionários chegaram a ser afastados preventivamente. Agora com a JBS interditada em Passo Fundo são outros 2,2 mil”, alerta.

Segundo Madeira, a FTIA-RS está realizando um levantamento sobre a situação de saúde dos trabalhadores do setor no Estado que deve ser entregue ao Ministério Público do Trabalho (MPT) até quinta-feira. Uma das ações que a entidade está buscando junto à empresa é alteração dos turnos de trabalho, para reduzir o contato entre funcionários.

Fonte: Jornal do Comércio