Comissão da reforma da Previdência será instalada nesta quinta, diz Rodrigo Maia

O parlamentar contabilizou 27 titulares para que o colegiado pudesse funcionar, mas ainda não indicou o relator da proposta

Rodrigo Maia
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou nesta noite de quarta-feira, dia 24, que a comissão especial da reforma da Previdência será instalada nesta quinta-feira, às 11h. Ele leu em plenário a convocação para a reunião e os nomes dos deputados indicados até agora pelos partidos.

Até agora foram indicados 27 titulares. O mínimo era de 25 para que o colegiado pudesse começar a funcionar. O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, ainda não nomeou seus integrantes para a comissão.

Maia não indicou, porém, quem será o presidente e o relator da proposta na comissão especial. Os deputados indicados até o momento são do PP, PSD, PRB, PSDB, DEM, PTB, PDT, Solidariedade, Pros, Cidadania, Patriotas, PT e Novo.

Apesar de a comissão ser instalada nesta quinta, o líder da maioria na Casa, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que o prazo de 40 sessões do plenário da Casa só começará a ser contado a partir do dia 7 de maio, já que na semana que vem a Câmara não deverá realizar sessões deliberativas por causa do feriado do Dia do Trabalho, em 1º de maio.

Bolsonaro agradece

O presidente Jair Bolsonaro agradeceu em um curto pronunciamento em cadeia nacional nesta quarta-feira o empenho da “maioria dos parlamentares” e o comprometimento do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para aprovar a reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, na terça-feira, 23. Ele ressaltou também que o Brasil “tem pressa” para aprovação da medida.

“Agradeço o empenho e o trabalho da maioria dos integrantes da comissão e também o comprometimento do presidente Rodrigo Maia”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou ainda que o governo continua “a contar com o espírito patriótico dos parlamentares para aprovação da Nova Previdência, nesta segunda etapa na comissão especial e também posteriormente no plenário da Câmara dos Deputados”.

O presidente disse ainda que, se nada for feito, o País “não terá recursos para garantir uma aposentadoria para todos os brasileiros”. Ele ressaltou ainda que o projeto diminui a desigualdade social no Brasil.

Fonte: Canal Rural

25 de abril de 2019 às 07:20
Por Estadão Conteúdo

Compartilhe!