Comissão analisa MP

A comissão especial mista que vai analisar no Congresso Nacional a Medida Provisória (MP) 571, enviada na segunda-feira pela presidente Dilma Rousseff para alterar pontos vetados do Código Florestal, deve ser instalada hoje. O deputado Bohn Gass (PT-RS) presidirá o colegiado. Os senadores Jorge Viana (PT-AC) e Luiz Henrique (PMDB-SC) serão o vice-presidente e o relator, respectivamente. Os três parlamentares defenderam o texto apoiado pelo Planalto e, antes do veto presidencial, chegaram a apresentar projetos paralelos para corrigir as mudanças feitas pela Câmara na versão aprovada no Senado.

A escolha da cúpula da comissão é considerada estratégica pelo governo.Tendo o controle sobre o grupo, será mais fácil blindar os ruralistas,que já se preparam para agir.A Frente Parlamentar da Agropecuáriajáapresentoucercade50 emendas contra a MP. Alguns integrantes ainda pretendem entrar com um mandado de segurança contra o ato presidencial. "Os vetos deveriam ser analisados primeiro, a MP foi uma afronta ao Congresso e ao regimento interno", defendeu o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO).

Para Bohn Gass, que deverá ser oficializado hoje como presidente da comissão, o argumento de Caiado não se sustenta."A MP foi feita de forma muito sensata, portanto, está amparada pela Constituição", destaca."Essa atitude (dos ruralistas) é uma tentativa de desviar o assunto para fugir do mérito."

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE – DF  ADRIANA CAITANO