Combustível do presente (Olha do Campo)

Fonte:  ZERO HORA – RS  | irineu.guarnier@canalrural.com.br

O uso do biodiesel avança a passos lentos no Brasil, a despeito do entusiasmo dos agricultores, da simpatia dos ambientalistas e do interesse dos investidores privados. O país já poderia ter aumentado a mistura de biodiesel ao diesel de 5% (B5) para 10% (B10) ou mais. A Embrapa, por sua vez, confirma que o biocombustível brasileiro já tem qualidade internacional.

Além dos benefícios ao ambiente, a utilização do biodiesel em escala ampliada aumentaria consideravelmente o mercado interno para oleaginosas como a soja e a canola, no Sul do país, e para culturas típicas da AGRICULTURA FAMILIAR, como a mamona, no Nordeste.

Perde-se, no entanto, um tempo precioso. Biocombustíveis, como o biodiesel e o etanol, são fontes energéticas de transição. Combustíveis do presente, não do futuro. Num futuro não muito distante, serão substituídas por alternativas ainda mais sustentáveis, como a energia solar e o hidrogênio.

Se o país não souber explorar ao máximo a potencialidade dos biocombustíveis enquanto eles são a fonte energética mais viável econômica e ambientalmente, amanhã poderá ser tarde demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *