Com crédito, agricultura familiar ganha espaço em feira agrícola

O valor recorde de R$ 2,6 bilhões em negociações na 20ª Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação), em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), não teve participação maciça apenas de produtos de luxo –como aviões, helicópteros, lanchas e camionetes– e de grandes máquinas destinadas ao agronegócio.

A agricultura familiar, segundo a organização do evento, também registrou uma participação importante no volume de negócios gerados, graças, sobretudo, a linhas de financiamento público.

Vice-presidente da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), João Marchesan não informou o total negociado no setor, mas apontou que ele ganha cada vez mais destaque na feira.

"Os fabricantes de máquinas agrícolas estão dando um foco muito importante na agricultura familiar. É um setor que tem andado bem."

Empresas com estandes na feira focaram nos pequenos e médios produtores, como por exemplo a Yanmar Agritech. Segundo Pedro Cazado Lima Filho, gerente de pós-vendas e marketing, a empresa produz máquinas segundo a necessidade do cliente.

"Adaptamos maquinários para cultivo de uva, café, hortaliça, maçã, cebola. O foco é atuar na mecanização da pequena propriedade e garantir renda aos produtores."

No estande da marca, as concessionárias esperavam vender 300 máquinas.

A Agrale também destina parte de seu portfólio à agricultura familiar. Segundo o gerente de vendas de tratores, Silvio Rigoni, a intenção é fixar o produtor do campo.

"Se o pai fica na fazenda e tem rentabilidade por meio da mecanização, o filho não vai se interessar em sair do campo. O foco é o jovem."

A expectativa da empresa era comercializar cerca de 30% mais do que em 2012.

O presidente e proprietário da Budny, fabricante de tratores e implementos de pequeno porte, Carlos Budny, disse que o setor vem registrando bom desempenho. A empresa catarinense produz tratores 100% nacionais.

A marca possui hoje 50 revendedoras –a meta, segundo ele, é dobrar neste ano.

A sueca Husqvarna ofereceu motosserras, roçadeiras, cortadores de gramas e tratores direcionados a pequenos produtores, que arrendam ou atuam em áreas onde há plantação de árvores destinadas a indústrias papeleiras.

A intenção era dobrar o volume de vendas, em comparação com a feira de 2012.

Márcia Ribeiro/Folhapress

Máquina exposta na Agrishow, feira agrícola que movimentou R$ 2,6 bilhões em cinco dias em Ribeirão Preto

Máquina exposta na Agrishow, feira agrícola que movimentou R$ 2,6 bilhões em cinco dias em Ribeirão Preto

FINANCIAMENTOS

Os gerentes, diretores e gestores dessas empresas atribuem ao programa Mais Alimentos, do governo federal, o sucesso das vendas para a agricultura familiar.

A linha de financiamento, liberada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, permite ao agricultor captar até R$ 200 mil para a mecanização de suas propriedades.

Desde 2008, o programa destinou para as fazendas mais de R$ 15 bilhões.

Fonte: Folha | JOÃO ALBERTO PEDRINI | DE RIBEIRÃO PRETO

Compartilhe!